Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/22591
Título: Fitólitos em depósitos de colúvio do quaternário superior na face nordeste da Bacia Sedimentar do Araripe/CE: significado paleoambiental
Autor(es): SILVA, Rodrigo Ranulpho da
Palavras-chave: Geografia; Geomorfologia; Solos-Análises; Bacias Sedimentares; Geologia estratigráfica- Quarternário; Paleontologia- Quarternário
Data do documento: 26-Ago-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: As evidências dos ciclos paleoclimáticos no período Quaternário podem ser descritas nas camadas sedimentares que se expressam como processos erosivos formadores de rampas de colúvio e depósitos aluviais. Estas são constituídas de sedimentos da área fonte e microfósseis de espécies vegetais inumados nos estratos sedimentares. Os minerais constituintes destes sedimentos guardam registros pedogeoquímicos, que possibilitam a datação e identificação de microfósseis biomineralizados, possibilitando a reconstrução paleoambiental no Quaternário. Silicofitólitos são biomineralizações de sílica formados nos vegetais, depositados no solo pela senescência da planta e preservados durante milhares de anos. O objetivo deste trabalho foi identificar concentrações de fitólitos em sedimentos quaternários datados, aplicando índices climáticos e de fitofisionomias, correlacionando com períodos datados e inferindo paleoambientes. Os fitólitos foram extraídos em laboratório por processos geoquímicos e identificados por microscopia. O planalto do Araripe é uma morfoestrutura com escarpas abruptas, capeadas por extensas rampas coluviais com sedimentos arenosos, datados do Pleistoceno Médio ao Último Máximo Glacial (UMG). A correlação dos períodos datados com índices climáticos e de fitofisionomias indicou o aporte e deposição de fitólitos de uma vegetação arbórea/arbustiva, substituída em superfície por vegetação de gramíneas. Períodos de climas mais secos foram correlacionados às datas do UMG, com vegetação mais aberta composta por gramíneas, com ocorrência de eventos geomorfológicos menos intensos. A correlação dos índices climáticos utilizados a partir da interpretação de morfotipos e a composição de uma assembleia fóssil dos silicofitólitos corroboraram a dinâmica ambiental e geomorfológica dos períodos datados nas seções estratigráficas. O significado paleoambiental dos silicofitólitos em depósitos de colúvio demonstrou a dinâmica da vegetação correlacionada aos processos de deposição de sedimentos, desde o Pleistoceno superior até o período atual.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/22591
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Geografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
R.Ranulpho_2016_Dissertação de Mestrado Geografia.pdf3,73 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons