Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2192
Título: Parâmetros morfo-funcionais do olho e da organização retiniana no peixe de quatro-olhos Anableps anableps (Linnaeus, 1758)
Autor(es): Gilberto Oliveira, Francisco
Palavras-chave: Anablepes anablebs; Retina
Data do documento: 2004
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Gilberto Oliveira, Francisco; Lara da Silveira Andrade da Costa, Belmira. Parâmetros morfo-funcionais do olho e da organização retiniana no peixe de quatro-olhos Anableps anableps (Linnaeus, 1758). 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Fisiologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Resumo: O sistema visual representa um importante elo entre um animal e o mundo em sua volta, com profunda influência nos seus hábitos e estilo de vida, nos mais variados habitats. Em peixes do gênero Anableps cada olho contém duas córneas, duas aberturas pupilares, uma lente piriforme e uma retina com regiões dorsal e ventral distintas, que proporcionam uma visão simultânea dos meios aéreo e aquático. No presente trabalho foram investigados alguns dos parâmetros morfo-funcionais de componentes ópticos e neurais envolvidos no ganho em resolução e sensibilidade do olho do Anableps anableps em 22 animais com comprimento padrão (SL) entre 14 e 20,5 cm. Adotando a técnica de montagens planas, foi realizada uma análise comparativa e quantitativa das regiões dorsal e ventral da retina com ênfase em que tipos de especializações são definidas pela distribuição topográfica de neurônios na camada de células ganglionares e que tipos de populações neuronais, de acordo com o espectro de tamanho, estão presentes nestas hemi-retinas. Medidas das dimensões oculares e da lente foram realizadas em 08 espécimens e montagens planas retinianas foram feitas a partir de olhos de 14 animais, com (SL) variando de 14,5 a 20,5 cm. Os resultados indicaram uma assimetria nas dimensões da lente de magnitude similar ao descrito para animais com SL entre 8,5 e 9,5 cm. e um crescimento assimétrico do olho. Um tapetum coroidal foi evidenciado sobre toda a extensão do olho de animais adaptados ao claro. Uma proeminente faixa visual com densidade pico de 18.286 ± 3.162 células/mm2 foi detectada na região central da hemi-retina ventral e uma pequena área de densidade máxima (5.500 ± 602 células/mm2) foi observada em quatro de seis retinas analisadas na periferia temporal da hemi-retina dorsal. A análise comparativa evidenciou também um maior gradiente centro-periférico de densidade celular e um número total de células, cerca de 3 X maior na retina ventral, comparada à dorsal. A distribuição das classes de tamanho dos corpos celulares também sugere que distintas populações celulares estão presentes em cada hemi-retina. Os dados indicam diferentes níveis de resolução e amostragem entre os campos visuais aéreo e aquático e enfatizam a presença de especializações oculares e retinianas capazes de otimizar as estratégias alimentares e comportamentais adotadas por esta espécie em ambientes de alto ou baixo níveis de luminosidade
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2192
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Bioquímica e Fisiologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6247_1.pdf2,54 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.