Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2187
Título: Repercussões cardio-respiratórias da manobra de recrutamento alveolar em cães submetidos à lesão pulmonar aguda unilateral
Autor(es): Maria Araújo do Nascimento, Indianara
Palavras-chave: Cardiorrespiratório;Cães;Lesão pulmonar
Data do documento: 2004
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria Araújo do Nascimento, Indianara; José Eduardo das Dores Peres da Costa, Carlos. Repercussões cardio-respiratórias da manobra de recrutamento alveolar em cães submetidos à lesão pulmonar aguda unilateral. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Fisiologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Resumo: As repercussões cardio-respiratórias da Manobra de Recrutamento alveolar (MRA) foram analisadas em cães submetidos à lesão pulmonar aguda (LPA) unilateral direita induzida por lavado com solução salina a 0,9% aquecida a 38º C. O grupo LPA (n=6) foi submetido à lesão pulmonar aguda unilateral, enquanto o grupo MRA (n=6), foi submetido à manobra de recrutamento após indução da LPA unilateral. Os parâmetros de mecânica respiratória: complacência estática (CST) e resistência do sistema respiratório (RSR); gasometria arterial: relação pressão parcial arterial de oxigênio e fração inspirada de oxigênio (PaO2/FiO2), pressão parcial arterial de dióxido de carbono (PaCO2), e diferença alvéolo-arterial de O2 [D(A-a)O2]; e cardiovasculares: freqüência cardíaca (FC) e a pressão arterial média (PAM), foram avaliadas antes e após a lesão pulmonar aguda para o grupo LPA e após a manobra de recrutamento para o grupo MRA. Os parâmetros cardiovasculares também foram avaliados durante a MRA. A análise histológica foi realizada após a lesão pulmonar aguda no grupo LPA e após a manobra de recrutamento no grupo MRA. Constatou-se que após a LPA unilateral, os animais de ambos os grupos, apresentaram redução significativa na CST e aumento na RSR, com redução na relação PaO2/FiO2, e aumentos na PaCO2 e D(A-a)O2, que foram revertidos após a MRA. A FC apresentou redução após a LPA unilateral, mas não apresentou alteração durante ou após a manobra. A PAM permaneceu inalterada durante todo o experimento. À histologia, observaram-se extensas áreas de colapso alveolar predominantemente nas regiões dependentes da gravidade após a LPA, que foi minimizada após a MRA. Edema alveolar, edema intersticial e infiltrado celular mantiveram-se constantes após a MRA e hiperdistensão alveolar, foi observada após a manobra nas regiões não dependentes da gravidade do pulmão esquerdo. Concluímos que, a MRA aplicada à LPA unilateral, é capaz de melhorar a mecânica ventilatória e a gasometria arterial, sem repercussões hemodinâmicas. No entanto, há presença de hiperdistensão alveolar na região não-dependente do pulmão não submetido a lesão
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2187
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Bioquímica e Fisiologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6243_1.pdf7,72 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.