Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2139
Title: Efeito do extrato aquoso do chá verde e suas catecinas puras sobre a produção de testosterona pelas células de Leydig de rato in vitro
Authors: de Souza Figueiroa, Marina
Keywords: Polifenóis do chá verde; Testosterona; Células de Leydig; PKA; PKC
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: de Souza Figueiroa, Marina; Inês Wanderley, Maria. Efeito do extrato aquoso do chá verde e suas catecinas puras sobre a produção de testosterona pelas células de Leydig de rato in vitro. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Fisiologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: Este estudo investigou os efeitos agudos do extrato aquoso do chá verde (GTE) e dos seus constituintes polifenóis (-)-epigalocatecina-3-galato (EGCG) e (-)-epicatecina (EC) sobre a produção de testosterona basal e estimulada, em células de Leydig de ratos in vitro. Células de Leydig purificadas foram incubadas por 3 horas com GTE, EGCG ou EC e com o precursor da testosterona androstenediona, na presença ou ausência de ativadores da proteína quinase A (PKA) e da proteína quinase C (PKC). O GTE e a EGCG, mas não a EC, inibiram ambas as produções de testosterona, basal e quinaseestimuladas. Células pré-tratadas por 15 minutos com GTE ou EGCG e recuperadas por 1 hora foram submetidas a tratamento com gonadotrofina coriônica humana (hCG), hormônio liberador de gonadotrofinas (LHRH), 22OHColesterol ou androstenediona. Nestas condições o efeito inibitório do GTE/EGCG em suas maiores concentrações utilizadas (69,2 e 100 μg/mL, respectivamente) sob a produção de testosterona estimulada por hCG/LHRH ou 22OHColesterol se manteve, enquanto que a produção de testosterona estimulada pela androstenediona retornou para os níveis do controle, indicando que o efeito inibitório sob a função da enzima 17β-hidroxidesidrogenase (17β-HSD) foi reversível. Nestas mesmas condições de pré-tratamento, porém utilizando menores concentrações de GTE/EGCG (13,8 e 20 μg/mL, respectivamente) observou-se que o efeito inibitório destes polifenóis sobre a produção de testosterona estimulada pelo 22OHColesterol foi revertida e até excedeu os níveis do controle, indicando que o efeito inibitório dos polifenóis sob a função da enzima de clivagem da cadeia lateral (P450scc) em mitocôndrias foi reversível. Conclui-se que os efeitos inibitórios do GTE podem ser explicados, pelo menos em parte, pela ação da EGCG, seu principal componente, e que a presença do grupo galato em sua estrutura parece ser importante para sua alta eficácia na inibição da síntese de testosterona. Os mecanismos envolvidos nos efeitos do GTE e da EGCG são provavelmente diversos e envolvem a inibição das cascatas de sinalização da PKA/PKC, assim como a inibição da função das enzimas P450scc e 17β-HSD
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/2139
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Bioquímica e Fisiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo607_1.pdf1.54 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.