Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/20258
Título: Tinta anti-incrustante e análises de resíduos da indústria vinícola (Vitis SP) do Vale do São Francisco
Autor(es): SILVA, Telma Maria Guedes da
Palavras-chave: Resíduos; Uva; Moscato; Shiraz; Antocianinas; Proantocianinas; Anti-incrustantes
Data do documento: 11-Ago-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O Vale do São Francisco esta localizado em uma região entre os estados de Pernambuco e Bahia. Responsável por 99% da uva de mesa exportada e pela produção de cerca de 6 milhões de litros de vinhos finos por ano. No processo de vinificação, os compostos fenólicos são extraídos da uva e o álcool produzido na fermentação ajuda neste processo. Os bagaços da uva gerados são descartados e devido o teor de fenólicos contido nos resíduos o presente trabalho teve como objetivo propor o desenvolvimento de uma tinta ambientalmente amigável e eficiente que poderá ser utilizada como anti-incrustantes em estruturas parciais ou totalmente submersas no mar. Para a caracterização química dos resíduos de duas variedades de uva (Vittis sp.) foram utilizadas técnicas cromatográficas e espectrométricas para identificação estrutural dos constituintes. O teor de fenólicos encontrados nos bagaços da uva Moscato foram de 423,81 ± 1,72 mg EAG/g de extrato, 104,49 ± 2,90 mgEAG/g de extrato para a semente e casca, respectivamente e de 133,92 ± 1,99 mgEAG/g de extrato de bagaço da Shiraz. Nos testes qualitativos de teor de flavonoides, taninos condensados, galotaninos e antocianinas, os taninos foram encontrados em maiores concentrações nos extratos da casca Moscato acetona 70%, semente Moscato etanol e extrato do bagaço Shiraz etanol 80%. Nos extratos do cultivar Shiraz foram identificadas, por MALDI-TOF e UPLC-DAD-qTOF-MS, 54 antocianinas e foram isolados os principais constituintes: 2 flavonoides glicosilados (isoquercetina e isoramnetina-3-O-β-D-glicosídeo) e 4 antocianinas em mistura (malvidina-3-O-glicosídeo, peonidina-3-O-glicosídeo, malvidina-3-O-(6-O-pcumaroil)-glicosídeo e peonidina-3-O-(6-O-p-cumaroil)-glicosídeo). Da semente da uva Moscato foram identificadas 24 proantocianidinas com grau de polimerização variando de 1-6 unidades de (epi)catequina e (epi)galocatequina. Na casca da uva Moscato foram identificadas 6 proantocianidinas dentre elas dois trímeros de (epi)afzelequina, 4 oligômeros de (epi)catequina e (epi)afzelequina. Nos testes de toxicidade com Artemia salina os três extratos não apresentaram toxicidade e os complexos cobre-resíduos apresentaram alta toxicidade. Os testes de imersão com as placas contendo as tintas anti-incrustantes obtidas dos resíduos demonstram que apresentaram eficiência superior à tinta contendo complexo obtido de tanino comercial, durante o mesmo tempo de imersão. Os extratos da semente da uva Moscato e o bagaço da uva Shiraz apresentaram o melhor resultado no teste de imersão. Com base nos resultados obtidos, verificou-se que o pigmento do complexo resíduo-cobre, produzido à base dos extratos, é uma atraente alternativa para utilização em formulações anti-incrustantes. Além disso, representa o aproveitamento e agregação de valor aos resíduos vinícolas da Região do Vale do São Francisco.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/20258
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Química

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE-TELMA GUEDES - VERSÃO FINAL.pdf8,33 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons