Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/20007
Title: Morfologia do círculo arterial cerebral em humanos: hipoplasia do segmento A1 da artéria cerebral anterior e padrão fetal da artéria cerebral posterior
Authors: MARTINS, Islane Cristina
Keywords: Círculo arterial cerebral; Variação anatômica; Angiografia por ressonância magnética; Circle of Willis; Anatomic variation; Magnetic resonance angiography
Issue Date: 26-Aug-2016
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: O círculo arterial cerebral é um polígono anastomótico na base do encéfalo que comunica o sistema carotídeo com o sistema vértebro-basilar e as carótidas entre si. Há muitas variações morfológicas nesse polígono e possíveis diferenças entre os sexos, particularmente no segmento A1 da artéria cerebral anterior e na origem da artéria cerebral posterior (ACP). O objetivo do presente estudo foi analisar comparativamente a frequência de hipoplasia do segmento A1 e do padrão fetal da artéria cerebral posterior no homem e na mulher. Foram analisadas retrospectivamente 848 angiografias por ressonância magnética arterial, em 426 homens e 422 mulheres, respectivamente, que se submeteram ao exame no Centro de Diagnóstico Multimagem. Os exames foram escolhidos aleatoriamente entre 1.000 angiorressonância realizadas entre 2010 e 2016, independente do motivo da solicitação médica. Hipoplasia do segmento A1 foi definido por analise qualitativa, quando havia uma nítida assimetria entre os dois segmentos A1 direito e esquerdo bem como o padrão fetal da artéria cerebral posterior. Para análise de hipoplasia foram medidos os diâmetros dos segmentos A1. Para análise do padrão fetal (diâmetro da ACP na origem da artéria carótida>diâmetro do segmento P1) foram analisadas 1.296 artérias carótidas em 648 indivíduos. Na análise estatística utilizouse o teste exato de Fisher. Os homens 152/326 (46,6%) apresentaram hipoplasia de A1 em comparação com 108/322 (33,5%) das mulheres (p<0,01, OR=1,7; IC95% 1,3-2,4). A hipoplasia de A1 nos homens foi mais frequente a direita (20% vs. 15%, p<0,01). O padrão fetal foi mais comum nas mulheres 151/644 (23,4%) do que em homens, 100/652 (15,3%) (p<0,001, OR=1,7; IC95% 1,3-2,2). As mulheres também apresentam mais padrão fetal bilateral do que os homens (8,0% vs. 3,4%; p<0,01; OR=0,4; IC 0,2-0,8). A hipoplasia do segmento A1 da artéria cerebral anterior é mais frequente nos homens e nas mulheres há uma maior frequência do padrão fetal da artéria cerebral posterior.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/20007
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Islane Cristina Martins.pdf2.44 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons