Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/20000
Título: Linfomas relacionados ao HIV em adultos atendidos na rede pública de Recife-PE
Autor(es): NASCIMENTO, Janaíra da Silva
Palavras-chave: Linfoma;HIV;Aids;Doença de Hodgkin;Linfoma não Hodgkin;Lymphoma;HIV;AIDS;Hodgkin Disease;Lymphoma Non-Hodgkin
Data do documento: 31-Ago-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O presente estudo descreveu os linfomas associados ao vírus da imunodeficiência humana (HIV) e identificou o perfil histológico e imuno-histoquímico predominante, bem como as características clínicas gerais da população, estadiamento inicial do linfoma, terapia realizada suas complicações e o desfecho do tratamento. A pesquisa foi retrospectiva, tipo série de casos. Realizada através da coleta de dados de prontuários médicos nos serviços de arquivo de oncohematologia dos seguintes hospitais: Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE), Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), e Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC). Foram analisados 18 prontuários de pacientes infectados com HIV e/ou com aids diagnosticados com linfoma. Foram excluídos aqueles pacientes que não apresentaram estudo imuno-histoquímico do linfoma. Os dados foram alocados em tabelas próprias, que contemplaram todas as variáveis a serem estudadas. Dos 18 pacientes incluídos no estudo, 61,1% eram do sexo masculino, com idade média de 41 anos. Metade dos pacientes tiveram seu diagnóstico de infecção pelo HIV posterior ao diagnóstico do linfoma. Quanto ao estudo anatomopatológico, os tipos mais frequentes foram o linfoma não Hodgkin de células B, somando 8 casos (44,4%), e o Linfoma de Burkitt 5 (27,8%) casos. O estadiamento de Ann Arbor com modificações de Cotswolds em 14 (77,7%) pacientes estava entre III e IV. Sintomas B estiveram presentes em 11 (61,1%) pacientes, doença Bulky também em 11 (61,1%) pacientes, e comprometimento extra linfonodal em metade dos casos. Sobre o tratamento, quatro pacientes foram a óbito já na primeira linha de tratamento e dois foram refratários, enquanto que seis pacientes tiveram resposta parcial e apenas um obteve resposta completa. Entre os pacientes acompanhados na segunda linha de tratamento um foi a óbito. Dentre os que seguiram para a terceira linha de tratamento dois foram a óbito, e o único paciente que se submeteu ao quarto tratamento também evoluiu para o óbito. Em acordo com a literatura, observamos que os pacientes com diagnóstico de linfoma associado ao HIV apresentaram um estadiamento clínico inicial avançado, e evoluíram com baixas taxas de resposta à quimioterapia o que pode estar relacionado com as frequentes complicações infecciosas relacionadas ao tratamento, à não utilização do anticorpo monoclonal anti-CD20 no tratamento, ao retardo do diagnóstico, tanto do linfoma como do HIV e às baixas condições de saúde básica e de vida da população em estudo, reforçando a necessidade de melhores condições de acesso à saúde.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/20000
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Medicina Tropical

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LINFOMAS RELACIONADOS AO HIV EM ADULTOS ATENDIDOS NA REDE PÚ.pdf3,12 MBAdobe PDFVer/Abrir    Item embargado


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons