Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/19491
Title: Avaliação geoestrutural da pedreira de granito marrom imperial em Umari – João Alfredo/PE
Authors: FEITOSA, Maria Carolina de Albuquerque
Keywords: Marrom Imperial. Geologia estrutural. Tensão-deformação.;Brown Imperial. Structural geology. Stress-strain.
Issue Date: 14-Jul-2016
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: A análise estrutural de um maciço rochoso tem por finalidade fornecer elementos para uma melhor compreensão dos parâmetros de descontinuidades. Salienta-se que o controle destes parâmetros constitui o norte científico para orientar a lavra de rochas ornamentais, pois, as dimensões e qualidade dos blocos obtidos dependem principalmente da natureza e equidistância dos fraturamentos associados à distribuição das tensões atuantes em um maciço rochoso. Neste trabalho, apresenta-se a análise estrutural do Sienito Marrom Imperial, localizado em Umari, zona rural do Município de João Alfredo – PE. Ao fornecer tais informações o responsável técnico poderá definir a melhor sistemática tecnológica no plano de aproveitamento econômico a ser adotado, sem provocar o aparecimento de fraturas de alívio na rocha. Os dados coletados durante a visita técnica constituíram um banco de dados utilizado na determinação das projeções estereográficas (rede de Schmidt) e diagramas de rosetas. A análise do fraturamento mostrou que as fraturas de cisalhamento situam-se nas direções 30º Az e 340º Az. A bissetriz do ângulo formado pelo cruzamento destes cisalhamentos corresponde à direção de compressão máxima atuante representada por 1 e disposta na direção 5°Az. Perpendicularmente a essa, encontra-se a direção de distenção, 3. Com base no exposto pode-se concluir que a melhor orientação de corte, para o desenvolvimento dos trabalhos de abertura da pedreira, de modo a provocar o alivio das tensões e evitar o aparecimento de fraturas durante os serviços de lavra, é a direção SE-NW. Quanto à caracterização tecnológica, os resultados obtidos foram comparados aos estabelecidos pelas normas ABNT NBR 15844:2010, NBR 12042: 1992 e ASTM C 615:1992. Os índices físicos - massa específica aparente seca e saturada, porosidade e absorção aparentes - atenderam satisfatoriamente aos requisitos da ABNT NBR 15844:2010 e americana ASTM C615: 1992. Os resultados dos ensaios de resistência à compressão simples e resistência à flexão quando comparados com os valores requisitados para granitos, mostram que a rocha suporta uma compressão mediana, levemente inferior ao estabelecido por estas normas. Já o ensaio de desgaste Amsler ficou abaixo de 1mm/m, como especificado pela norma brasileira NBR 15844:2010. A avaliação dos ensaios do Marrom Imperial, juntamente com a análise petrográfica, possibilitou um melhor conhecimento da inter-relação dos resultados, e podendo assim relacionar diretamente a uma melhor aplicação do material objeto de estudo. A rocha pode ser aplicada sem restrições, salvo locais úmidos que requerem impermeabilização e de intenso tráfego.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/19491
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Engenharia Mineral

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação. Maria Carolina. PPGEMinas.pdf3.64 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons