Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/19015
Title: Famílias de usuários de drogas em relatos de técnicos de CAPSad
Authors: LIMA, Iara Cristine Rodrigues Leal
Keywords: família;drogas;profissionais;discurso;family;drugs;occupational;speech
Issue Date: 29-Feb-2016
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: As práticas de cuidado ofertadas no campo do uso e abuso de drogas no contexto brasileiro foram predominantemente repressivas e ao usuário de drogas cabia a internação e exclusão do convívio familiar e social. Porém, em contraposição a essas práticas, surgem políticas que procuram reduzir a demanda e a oferta de drogas como a Política de Atenção Integral a Usuários de álcool e outras drogas.Desse modo, procura-se desenvolver um trabalho integral, intersetorial e inclusivo de atenção aos usuários e dependentes de bebidas alcoólicas, com ações na rede básica de saúde e atendimento na rede hospitalar não-psiquiátrica, quando necessário, além de programas de suporte e reintegração social. Nesse contexto, novos serviços foram criados como os CAPSad. A partir dessa lógica, procura-se incentivar a participação dos familiares dos usuários, objetivando instrumentalizá-los como cuidadores além de ofertar práticas de cuidados a essa família, de modo a minimizar a sua sobrecarga emocional. Tendo em vista essas propostas de mudança e a inserção da família nesses serviços, o estudo teve como objetivo geral identificar e analisar o significado sobre a família do usuário de drogas para técnicos dos CAPSad da cidade do Recife. Os objetivos específicos são os seguintes: identificar e analisar em relatos sobre as famílias dos usuários de drogas e as diferentes ações realizadas com esses relatos; identificar e analisar os diferentes discursos que orientam as práticas desses técnicos com o usuário de drogas. Participaram da pesquisa 20 técnicos que trabalham em quatro CAPSad da cidade de Recife. Para a coleta de dados foi utilizada a técnica da entrevista semi-estruturada e para a análise dos dados foi utilizada a análise de discurso. Utilizamos a perspectiva teórico-metodológica da Psicologia Social Discursiva, na qual a linguagem não é considerada apenas como um instrumento de representação da realidade, mas sim como profundamente implicada na construção desta. Pudemos observar que nos relatos dos entrevistados há a descrição de uma família desestruturada e saturada, sendo o uso de drogas o responsável por essa situação. Os objetivos específicos são os seguintes: identificar e analisar em relatos sobre as famílias dos usuários de drogas e as diferentes ações realizadas com esses relatos; identificar e analisar os diferentes discursos que orientam as práticas desses técnicos com o usuário de drogas. Participaram da pesquisa 20 técnicos que trabalham em quatro CAPSad da cidade de Recife. Para a coleta de dados foi utilizada a técnica da entrevista semi-estruturada e para a análise dos dados foi utilizada a análise de discurso. Utilizamos a perspectiva teórico-metodológica da Psicologia Social Discursiva, na qual a linguagem não é considerada apenas como um instrumento de representação da realidade, mas sim como profundamente implicada na construção desta. Pudemos observar que nos relatos dos entrevistados há a descrição de uma família desestruturada e saturada, sendo o uso de drogas o responsável por essa situação. Os objetivos específicos são os seguintes: identificar e analisar em relatos sobre as famílias dos usuários de drogas e as diferentes ações realizadas com esses relatos; identificar e analisar os diferentes discursos que orientam as práticas desses técnicos com o usuário de drogas. Participaram da pesquisa 20 técnicos que trabalham em quatro CAPSad da cidade de Recife. Para a coleta de dados foi utilizada a técnica da entrevista semi-estruturada e para a análise dos dados foi utilizada a análise de discurso. Utilizamos a perspectiva teórico-metodológica da Psicologia Social Discursiva, na qual a linguagem não é considerada apenas como um instrumento de representação da realidade, mas sim como profundamente implicada na construção desta. Pudemos observar que nos relatos dos entrevistados há a descrição de uma família desestruturada e saturada, sendo o uso de drogas o responsável por essa situação. . Ainda que posicionem as novas constituições familiares de forma positiva, os técnicos constroem um discurso reducionista e não enfatizam a multiplicidade de fatores relacionados ao uso de drogas, apontando a família como principal responsável pelo o início ou interrupção desse uso. Além disso, descrevem o distanciamento da família do serviço como um desinteresse desta pelo projeto do usuário. Há nos relatos dos entrevistados uma tentativa de apontar a presença da família como um fator essencial para se atingir os objetivos do projeto terapêutico do usuário, mas, por outro lado, não enfatizam outras estratégias de intervenção que possam ocorrer sem a presença da família. Diante do exposto, podemos concluir que os técnicos constroem discursos moralistas ao responsabilizar a família pelos problemas apontados. Portanto, considera-se de fundamental importância a intensificação de discussões sobre a inserção da família nas práticas de cuidados, uma vez que essa inserção não pode ser feita de forma desarticulada das necessidades do usuário e sua família.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/19015
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Iara Cristine Rodrigues Leal Lima 2016.pdf820.86 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons