Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18914
Título: Análise da microbiota simbionte do zoantídeo Palythoa caribaeorum (Duchassaing e Michelotti, 1860) na Praia de Porto de Galinhas - PE
Autor(es): BORGES, Sawana Caroline de Aquino
Palavras-chave: Ambientes recifais; Cnidários; Dinoflagelados; Simbiontes; Pisoteio; Reef environments; Cnidarians; Dinoflagellates; Symbionts; Trampling
Data do documento: 26-Fev-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: As áreas recifais que se utilizam do turismo são susceptíveis às mudanças em sua fauna e flora como impactos negativos. Alguns cnidários são importantes bioindicadores de alterações físico-químicas no ecossistema. Devido a isso, foi realizada a análise da microbiota simbionte do zoantídeo Palythoa caribaeorum na Praia de Porto de Galinhas (PE) para avaliação da influência temporal e do pisoteio nesse organismo. As amostras foram coletadas mensalmente no período de junho a dezembro do ano de 2012, em áreas com pisoteio e sem pisoteio. Foram analisadas as variáveis de densidade populacional, índice mitótico, diâmetro celular e clorofilas a e c das zooxantelas e altura, quantidade e volume dos pólipos de P. caribaoerum associadas com alguns parâmetros abióticos (pluviosidade, temperatura, salinidade, pH e nutrientes). Foi observada variação significativa do índice mitótico, com maior média no período chuvoso (9.38 ± 0.62%) e diâmetro celular, com maior média no período de estiagem (11.30 ± 0.91μm). A pluviosidade, a salinidade, o pH, o fosfato e o silicato exerceram uma influência significativa no índice mitótico e no diâmetro celular das zooxantelas. O volume dos pólipos apresentou diferença significativa temporal, com maiores valores no período chuvoso e também influenciou no índice mitótico e no diâmetro celular desses simbiontes. A clorofila a variou de forma significativa entre os dois períodos estudados, apresentando maiores valores no período chuvoso. A biomassa clorofiliana (clorofilas a e c) foi influenciada pela pluviosidade, salinidade, volume dos pólipos e pelos sais nutrientes nitrito, fosfato e silicato. O pisoteio dos banhistas sobre os recifes não demonstrou influência sobre as variáveis estudadas, apesar do escossistema recifal sofrer intensa atividade turística. O zoantídeo P. caribaoerum indicou uma forte adaptação aos estresses ambientais, apresentando métodos para compensar a influência da variação dos fatores abióticos, não sofrendo intervenções na capacidade fotossintética dos seus simbiontes.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18914
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Oceanografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO FINAL SAWANA BORGES.pdf1,31 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons