Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18771
Título: A prática da automedicação entre adolescentes: prevalência e fatores relacionados
Autor(es): ARAÚJO, Luanna Kattaryna Penha de
Palavras-chave: Auto-medicação;Comportamento do Adolescente;Fatores de risco;Self-medication;Adolescent Behaviors;Risk factors
Data do documento: 28-Abr-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A adolescência é um período caracterizado por diversas mudanças no desenvolvimento biológico, psicológico e social. Durante este período são experimentadas vivências significativas que podem trazer uma série de riscos à saúde, o que inclui o uso de substâncias lícitas de maneira exagerada ou inadequada ou até mesmo o uso de substâncias ilícitas. Estudos voltados para a população adolescente demonstram que a automedicação nesta faixa etária é frequente, sendo necessário conhecer em que medida estes indivíduos estão sujeitos a esta prática. Nesse sentido, esta pesquisa teve como objetivo de avaliar a automedicação entre adolescentes em idade escolar correlacionando esta prática aos fatores psicossociais e socioeconômicos, tratando-se de uma pesquisa do tipo corte transversal que se encontra integrada ao “Levantamento das condições de saúde bucal e psicossocial dos escolares de 15 a 19 anos do Município de São Lourenço da Mata – PE”, sendo o estudo de origem um estudo de base para uma coorte com fonte de dados primários. A pesquisa foi realizada nas escolas públicas do município de São Lourenço da Mata – PE, município escolhido por ser alvo de investimentos econômicos consideráveis nos últimos anos, fato que pode ter influência na mudança de comportamento dos jovens da comunidade local. Foram incluídos os adolescentes de 15 a 19 anos, matriculados em escolas da rede pública de São Lourenço da Mata. Os resultados apontam que um grande percentual da população adolescente local pratica a automedicação (64,7%), sendo a indicação por pais, familiares e amigos. A prevalência da automedicação é maior entre o sexo feminino (p=0,001) e a maior parte dos jovens afirma que não se sente ou se sente parcialmente segura para utilizar as medicações sem o auxílio dos pais.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18771
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde da Criança e do Adolescente

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LUANNA ARAUJO VERSÃO FINAL corrigida.pdf864,81 kBAdobe PDFVer/Abrir    Item embargado


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons