Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18674
Título: Integração de políticas sociais: O Programa Bolsa Família e a sua relação com o PRONATEC Brasil sem miséria no Centro de Referência da Assistência Social do Ibura/Recife
Autor(es): NEVES, Paulo Ricardo da Silva
Palavras-chave: Programas Sociais; Educação; Qualificação Profissional; Mercado de Trabalho; Inclusão Produtiva; Social Programs; Education; Professional Qualification; JobMarket; Productive Inclusion
Data do documento: 25-Out-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Esta dissertação teve como objetivo a avaliação dos impactos que os cursos do PRONATEC Brasil Sem Miséria apresentaram na vida das famílias dos beneficiários do Programa Bolsa Família atendidas no Centro de Referência da Assistência Social – CRAS/IBURA. Defendemos que as condicionalidades saúde e educação, aliadas a uma qualificação profissional como formadores do capital humano tornam-se elementos essenciais para uma possível superação da situação de vulnerabilidade social apresentadas pelos usuários e quebra de um ciclo intergeracional da pobreza. Partimos, portanto, da seguinte hipótese: a educação, qualificação profissional/inclusão produtiva, como elementos formadores do capital humano,podem contribuir para uma possível superação da situação de vulnerabilidade social apresentadas pelos usuários e quebra de um ciclo intergeracional da pobreza. Dessa forma, a nossa abordagem metodológica foi de caráter misto.Na primeira etapa qualitativa, utilizamos um questionário com perguntas abertas nas entrevistas em profundidade com o gestor municipal, coordenadores das unidades qualificadoras FBV e IFPE (coordenadora e discente) e na segunda etapa (pequeno Survey), aplicando-se para a coleta de dados, um questionário estruturado a 100 egressos dos cursos do Pronatec/BSM de 2014. Como resultados, obtivemos descobertas significativas como em relação ao questionamento sobre à inserção no mercado de trabalho devido aos cursos; 56% dos entrevistados responderam que não houve; enquanto 44 % dos entrevistados responderam que obtiveram a inserção no mercado de trabalho por conta do programa. Como também é relevante enfatizar que destes, 38% consideram que situação socioeconômica melhorou, assim como a qualidade de vida da família. Esse dado se apresenta como extremamente positivo para cursos de curta duração FIC. É relevante destacar, também, que esse indicador inserção no mercado de trabalho deve-se ao conjunto escolaridade x qualificação, bem como os limites impostos aos Programas Sociais aplicados no Recife, mais especificamente, no público atendido no CRAS/IBURA.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18674
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Gestão Pública para o Desenvolvimento do Nordeste

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO-Paulo Ricardo Dissertação.pdf2,72 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons