Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18498
Title: Avaliação da atividade antimicrobiana e da histocompatibilidadede extratos de Syzygium cumini (L.) Skeels
Authors: SILVA, Antônio Andre Lima da
Keywords: Myrtaceae; Atividade antimicrobiana; Plantas medicinais; Biocompatibilidade; Syzygium cumini; Myrtaceae; Antimicrobial activity; Medicinal plants; Biocompatibility; Syzygium cumini
Issue Date: 4-Sep-2009
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: Syzygium cumini (L.) Skeels é uma planta nativa da Índia, pertencente à família das Myrtaceae. É reconhecida popularmente como jambolão, azeitona preta e usada no tratamento de inflamações, disenterias, úlceras digestivas e diabetes. Entretanto, sua atividade antimicrobiana foi menos investigada. Os objetivos deste estudo foram analisar qualitativamente e semi-quantitativamente a composição química de quatro diferentes extratos brutos (éter de petróleo, acetato de etila, metanol e aquoso) obtidos das folhas de S. cumini, determinar a atividade antimicrobiana in vitro frente bactérias e leveduras e, além disso, verificar se existe compatibilidade biológica do extrato aquoso de S. cumini com o tecido subcutâneo de ratos Wistar. Estudos fitoquímicos realizados nas folhas de S. cumini determinaram vários metabólitos secundários, em especial os taninos hidrolizáveis de reconhecida atividade antimicrobiana. Os extratos foram submetidos à avaliação da atividade antimicrobiana usando o método da microdiluição preconizado pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI), para determinar a Concentração Inibitória Mínima (CIM). Foram utilizados 36 cepas de bactérias dos gêneros Enterococcus faecalis, Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa e Salmonella enterica e 8 cepas de leveduras do gênero Candida albicans, multirresistentes a diversos antimicrobianos utilizados na clínica médica e do American Type Culture Collection (ATCC). Os resultados obtidos da CIM foram tratados estatisticamente através da Análise de Variância one-way (ANOVA). O extrato aquoso extraído das folhas de S. cumini foi o mais ativo obtendo uma CIM média de 0,46 mg mL-1. Os extratos obtidos demonstraram as maiores atividades contra a bactéria gram-positiva Staphylococcus aureus, particularmente o extrato aquoso mostrou-se ser mais ativos com uma CIM de desvio padrão de 0.41 mg mL-1 frente às linhagens. A Biocompatibilidade do extrato aquoso mostrou-se sem nenhuma alteração significativa nos elementos estruturais presentes no tecido subcutâneo. Os resultados obtidos aumentam o potencial da planta em aplicações fitoterápicas, sendo promissor o desenvolvimento de medicamentos inovadores baseado nas pesquisas com S. cumini.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18498
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Patologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERT COM FICHA FINAL imprimir.pdf1.84 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons