Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18431
Title: Imunodetecção de sialiltransferase e histoquímica de ácidos siálicos no câncer de mama e sua possível aplicação em diagnóstico, prognóstico e terapia
Authors: MALTA, Tiago Barros Santos
Keywords: Sialiltransferases. Ácido siálico. Imunohistoquímica. Lectinas. Câncer de mama.; Sialic acid. Sialyltransferases. Breast cancer. α2,3-sialyltransferases. Lectins. Immunohistochemistry.
Issue Date: 25-Feb-2016
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: O câncer de mama feminino é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo, com aumento de incidência de 22% a cada ano. Estudos nas últimas décadas revelaram que a transformação maligna está associada a uma variedade de células com padrões de glicosilação alterados, como por exemplo a sialilação. Os ácidos siálicos tem sido relacionados à iniciação e progressão do câncer, tendo assim implicações potenciais na prevenção, diagnóstico e tratamento da doença. Este trabalho avaliou a expressão fenotípica de ST3Gal-I, através da imunohistoquímica, e o perfil de ácido siálico, através da histoquímica com lectinas usando Maackia Amurensis agglutinin II (MAA), em tecidos mamários diagnosticados com fibroadenoma (n=59), carcinoma ductal in situ (CDIS, n=40), carcinoma ductal invasivo (CDI, n=50) e carcinoma lobular (CL, n=42). Todos os tipos de lesões de mama apresentaram alta imunopositividade à ST3Gal-I, sendo observada uma expressão em 93,2% dos casos de Fibroadenoma, 92,5% de CDIS, 96% dos casos CDI e 85,2% de CL. As células apresentaram um padrão de marcação citoplasmático e perinuclear com relação à ST3Gal-I. Diferentes distribuições de resíduos de ácido siálico ⍺2,3-ligados, com um padrão de marcação predominantemente citoplasmático e membranar, foram observados nas lesões de mama estudadas. Os casos de fibroadenoma apresentaram o menor percentual de sialilação entre as lesões analisadas (47,5%), enquanto os de CDI o maior pecentual (98%). Embora este estudo não tenha mostrado diferença significativa na expressão de ST3Gal-I entre as lesões de mama, alterações representativas na presença de ácidos siálicos entre fibroadenoma e lesões malignas (p<0,0001), e também entre CDIS e CDI (p = 0.037) foram notadas. Não foram encontradas correlações significativas entre as expressões de ST3Gal-I e MAA, os marcadores de rotina e as características clinico-histopatológicas dos pacientes. Os resultados indicam uma distribuição particular de ácidos siálicos ⍺2,3-ligados nas células mamárias entre as lesões estudadas sugerindo seu envolvimento na progressão/manutenção do câncer de mama.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18431
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Aplicada à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Mestrado - Tiago Barros Santos Malta.pdf8.02 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons