Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1841
Título: Purificação e caracterização parcial da lectina de raiz de Bauhinia monandra (BmoRL)
Autor(es): Dantas de Souza, Jayra
Palavras-chave: Lectina; B. monandra; Atividade anti-fúgica
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Dantas de Souza, Jayra; Cassandra Breitenbach Barroso Coelho, Luana. Purificação e caracterização parcial da lectina de raiz de Bauhinia monandra (BmoRL). 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Bioquímica, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: Lectinas, proteínas que reconhecem específica e reversivelmente carboidratos, podem ser purificadas por cromatografia de afinidade. O gênero Bauhinia (Fabaceae) inclui espécies nativas ou introduzidas, usadas no tratamento de diabetes. A atividade hemaglutinante (AH) detectada em várias espécies de Bauhinia está associada à presença de lectinas. Uma lectina específica para galactose (BmoLL) foi previamente purificada em folhas de B. monandra e disponível em quantidades de miligramas (Coelho & da Silva, Phytochem. Anal., 11, 1-6, 2000). Este trabalho teve por objetivo isolar em elevada pureza uma lectina de raiz de B. monandra (BmoRL), bem como a avaliação de sua atividade antimicrobiana frente a fungos fitopatogênicos do gênero Fusarium. Raíz secundária de B. monandra foi extraída com tampão citrato-fosfato 10 mM, pH 6,5 (10 %, p/v), contendo NaCl 0,15 M (tampão selecionado), por 16 h, a 4 oC. O fracionamento salino foi realizado com sulfato de amônio (F 0-60%) durante 4 h, em temperatura ambiente; o precipitado foi dialisado em água destilada, seguido de tampão selecionado. Cromatografia em coluna de gel de guar foi efetuada para purificar a lectina; o suporte foi equilibrado com tampão selecionado e a eluição da proteína foi procedida com galactose 0,05 M em tampão selecionado. Eletroforese em gel de poliacrilamida (SDS-PAGE, 12%, p/v) revelou a pureza de BmoRL; BmoRL é uma glicoproteína, como detectado pela coloração com reagente de Schiff. BmoRL apresentou elevada AH específica (AHE) com eritrócitos de coelho (17.430) e não foi estimulada em presença de íons (Ca+2 e Mg+2). BmoRL revelou melhor AHE com os tampões citrato fosfato 10 mM em pH 7,0, contendo NaCl 0,15 M e fosfato de sódio 10 mM em pH 6,5 e 7,5. Ensaio em diferentes temperaturas revelou que BmoRL perdeu a atividade a 70 ºC. BmoRL foi totalmente inibida por D(+)-galactose e D(+)-raffinose; asocaseína, ovoalbumina e asialofetuína inibiram parcialmente a AH da lectina. Sob condições desnaturantes e redutoras, BmoRL apresentou uma única banda glicosilada, com aparente massa molecular de 26 kDa. BmoRL mostrou atividade contra fungos fitopatogênicos, especialmente, F. solani com inibição do crescimento de 30%. O perfil cromatográfico de BmoRL indica que uma lectina pode ser purificada de raízes secundárias de B. monandra com gel de guar, em quantidades de miligramas, com atividade antifúngica
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1841
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Bioquímica e Fisiologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4554_1.pdf881,95 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.