Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18217
Título: Consumo lipídico de ovolactovegetarianos e onívoros: um estudo comparativo
Autor(es): BEZERRA, Marise Mariano
Palavras-chave: Ovolactovegetarianos; Consumo alimentar; Consumo lipídico
Data do documento: 14-Mar-2014
Resumo: INTRODUÇÃO: As dietas vegetarianas tornaram-se cada vez mais populares em vários países, por razões que vão do acesso aos alimentos, saúde, religião até valores culturais. Seus adeptos podem ser classificados de acordo com o grau de restrição dos alimentos de origem animal, em: Ovolactovegetarianos, que consomem leite, ovos e seus derivados; os Ovovegetarianos ou Lactovegetarianos que utilizam apenas ovos ou apenas leite e derivados respectivamente, e os Vegetarianos restritos que não consomem qualquer alimento ou subproduto de origem animal (ADA, 2003). Durante as últimas décadas, estudos epidemiológicos têm documentado importantes e significativos benefícios do vegetarianismo para a saúde, proporcionando melhores condições de vida além de prevenir doenças crônicas através de maior controle dos seus fatores de risco. OBJETIVO: O presente estudo tem por objetivo determinar o consumo lipídico total, dos ácidos graxos saturados e insaturados e colesterol em indivíduos ovolactovegetarianos e compará-los com os valores de indivíduos onívoros. Bem como, caracterizar a amostra quanto ao estilo de vida, condições sócio-econômicas, sexo e idade. MÉTODOS: Este estudo foi realizado através da análise do banco de dados da dissertação de doutorado intitulada “Consumo alimentar, antropometria e lipídios circulantes de indivíduos ovolactovegetarianos e onívoros: Um estudo comparativo”. Estudo do tipo transversal e seus dados foram coletados no período compreendido entre julho de 2007 e agosto de 2009. Para sua coleta, foram elaborados questionários socioeconômicos, de estilo de vida e sobre o consumo alimentar dos participantes, com o parecer favorável do Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Os ovolactovegetarianos e onívoros foram convidados a participar do estudo a partir da divulgação de intenção de pesquisa em restaurantes naturais e/ou vegetarianos, nos bairros circunvizinhos a UFPE. O programa utilizado para análise do consumo alimentar foi o Dietpro5i®. A análise estatística foi realizada no programa SPSS versão 15.0 com os resultados sendo apresentados como média e desvio padrão, com adoção do nível de significância de 5% para rejeição da hipótese de nulidade. RESULTADOS: Com relação às características socioeconômicas e de estilo de vida, os resultados obtidos apontaram que entre os dois grupos houve apenas diferença significativa no número de moradores por domicilio, sendo o percentual com 5 ou mais pessoas mais elevado entre os vegetarianos, e quanto ao hábito do tabagismo, onde a maior proporção de fumantes encontraram-se no grupo dos onívoros. Já nos indicadores de consumo alimentar, observou-se que praticamente todos os parâmetros avaliados foram diferentes nos dois grupos, com exceção apenas do consumo de energia e de gordura poliinsaturada que foram semelhantes. Os onívoros apresentaram maior consumo de proteínas, gordura total, gorduras saturadas e monoinsaturadas e colesterol; e os ovolactovegetarianos maior consumo de carboidratos e fibras. DISCUSSÃO: Avaliando as características socioeconômicas nos dois grupos estudados observa-se que a renda per capita apresentou-se maior nos onívoros, fato discordante do estudo de Appley e col. (1999) que sugerem condições mais elevadas para os vegetarianos. No presente estudo entre os fatores não dietéticos relacionados ao estilo de vida, o número de fumantes foi maior no grupo dos onívoros, achado que corrobora com estudo de Barr e col. (2005). Com relação aos indicadores de consumo alimentar de macronutrientes, apenas o consumo de gordura poliinsaturada foi semelhante dado que condiz com o estudo de Davey e col. (2003). Também não se constatou diferenças no consumo calórico entre os dois grupos achado semelhante aos encontrados no estudo de Teixeira (2006). Os ovolactovegetarianos apresentaram menor consumo de gordura saturada e monoinsaturada, lipídeos, proteínas e colesterol e maior consumo de fibras e carboidratos. Estes dados são semelhantes aos achados de vários estudos da literatura (BARR, 2005; SANDERS, 1994; SANDERS 1999). CONCLUSÃO: Os hábitos alimentares mais saudáveis são um dos fatores que vêm tornando cada vez mais populares as dietas vegetarianas. Porém, uma dieta saudável não é decorrente apenas da retirada da carne e gordura da alimentação, e sim de uma alimentação diversificada e rica em vegetais, fibras e nutrientes antioxidantes importantes como fatores preventivos de agravos crônicos não transmissíveis.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18217
Aparece na(s) coleção(ções):TCC - Nutrição

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
BEZERRA, Marise Mariano.pdf458,95 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.