Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18182
Título: Suplementação profilática e teor de ferro e vitamina A na alimentação complementar de crianças menores de 2 anos no município da Vitória de Santo Antão - PE
Autor(es): AMARAL, Anna Ruth Lima Cavalcanti do
Palavras-chave: Nutrição do lactente; Suplementação alimentar x lactente
Data do documento: 12-Ago-2016
Citação: AMARAL, A. R. L. C.
Resumo: Objetivo: Identificar o teor de ferro e vitamina A na alimentação complementar de crianças menores de 2 anos atendidas nas Unidades de Saúde da Família no município da Vitória de Santo Antão - PE, bem como, conhecer o consumo da suplementação profilática desses nutrientes pelas crianças. Metodologia: A coleta dos dados ocorreu a partir de visitas às Unidades de Saúde da Família por meio de um instrumento padronizado e coleta contendo questões sobre aspectos socioeconômicos, demográficos, nutricionais e recordatório de 24h. A amostra foi constituída por 39 crianças incluídas por demanda espontânea nas Unidades. Resultados: Quanto à estimativa de ingestão de ferro nas últimas 24h, cerca de 30% das crianças, (tanto em aleitamento quanto desmamadas) apresentaram estimativa de consumo com adequação inferior a 80%, em relação à recomendação da RDA. A estimativa de ingestão de vitamina A abaixo de 80% da adequação entre as crianças estava entre 50% naquelas em aleitamento e 68% nas desmamadas. A maioria das crianças analisadas apresentava uma alimentação qualitativa com presença de alimentos saudáveis como frutas e verduras (63,1%), carnes (47,3%) e feijão (68,4%), embora 31,3% consumiram algum alimento não nutritivo (refrigerante, salgadinho, biscoito e doces). Quanto a suplementação, 28,2% e 65,8% não receberam suplementação de vitamina A e ferro, respectivammente, verifica-se práticas e consumo alimentar inadequado por lactentes, bem como percentual importante de crianças sem receber suplementação profilática. Conclusão: É possível que essas práticas de alimentação e suplementação levem ao aumento do risco de desenvolvimento de carências nestas crianças. Cabe aos profissionais de saúde orientar as mães sobre as práticas adequadas de alimentação complementar e sobre as ações governamentais de prevenção das carências nutricionais.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18182
Aparece na(s) coleção(ções):TCC - Nutrição

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AMARAL, Anna Ruth Lima Cavalcanti do.pdf1,77 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons