Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18162
Title: Influência do enriquecimento ambiental sobre a neurogênese e memória espacial de ratos adultos desnutridos precocemente
Authors: LIMA, Odair José de Farias
Keywords: Educação física - Plasticidade neural; Desnutrição Perinatal Proteica; Memória – Hipocampo; Enriquecimento ambiental – Ratos
Issue Date: 19-Jul-2016
Citation: LIMA, O. J. F.
Abstract: O efeito da desnutrição proteica perinatal pode repercutir até a vida adulta e induzir alterações na plasticidade neural, acarretando déficit nos mecanismos de memória. Um fator externo que potencializa os circuitos neurais relacionado a memória é o ambiente enriquecido (AE) que pode reverter ou atenuar os efeitos deletérios da desnutrição precoce. Dessa forma, objetivou-se investigar o efeito a longo prazo da desnutrição proteica no início da vida e da exposição ao ambiente enriquecido sobre a neurogênese hipocampal e memória espacial de ratos adultos. Foram utilizados 64 ratos machos Wistar, alocados em grupos de acordo com a dieta materna recebida na gestação e lactação: controle (C, caseína a 17%, n= 32) e desnutridos (D, caseína a 8%, n= 32). Com 25 dias de idade realiza-se o desmame, e os filhotes receberam dieta (Presence®), depois, formou-se subgrupos, segundo a exposição ao ambiente enriquecido: controle sem (CSAE, n=16) ou com (CAE, n= 16) ambiente; desnutrido sem (DSAE, n=16) ou com (DAE, n=16) ambiente. Aos 40 dias, as proles foram transferidas para o AE e a partir dos 85 dias, foram submetidas às análises de atividade locomotora no campo aberto e memória espacial no labirinto aquático de Morris. Aos 90, foram eutanasiados por perfusão para análise de imunohistoquímica. A desnutrição precoce provocou redução de peso no grupo DSAE desde o nascimento até os 90 dias. Após exposição ao AE a redução de peso foi observada apenas no grupo CAE a partir dos 80 dias, igualando-se ao desnutrido. Foi observado nos testes comportamentais e celular, nem a desnutrição e nem o AE alteraram a memória espacial, a atividade locomotora e a imunorreatividade de células positivas para doublecortina (DCX) nos grupos. Os resultados mostram que a desnutrição proteica perinatal promove alteração fenotípica, no aspecto do peso corporal, ao longo da vida, porém esse organismo desnutrido encontra-se resistente a mudanças externas após a agressão nutricional. Isso é diferente para um normonutrido, pois o AE promoveu gasto energético. Contudo, o hipocampo de um indivíduo adulto possui habilidade de remodelamento ao longo da vida, para favorecer os comportamentos adequados ao organismo, mesmo após ser alvo de injúria nutricional precoce.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18162
Appears in Collections:TCC - Educação Física (Licenciatura)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LIMA, Odair José de Farias.pdf1.43 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons