Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18134
Título: Treino pliométrico em crianças: efeitos sobre a força muscular
Autor(es): CARNEIRO, Renata Cecília Barbosa
Palavras-chave: Treino pliométrico;Treinamento físico;Força muscular;Crianças
Data do documento: 13-Fev-2015
Citação: CARNEIRO, R. C. B.
Resumo: A infância pode se dividir em três fases, segundo estudos, na terceira fase da infância ocorre o aprimoramento das habilidades motoras. Sabendo que o ambiente em que uma criança vive pode servir como estímulo positivo para a aquisição das habilidades motoras, é de suma importância o engajamento de crianças em programas de treino físico. A pliometria é um método de treino baseado no uso do Ciclo Alongamento-Encurtamento (CAE) cujo componente elástico de um grupo muscular ao ser precedido por uma ação excêntrica (pré-alongamento) na ação concêntrica resultante, gera uma maior força, porém pouco se sabe sobre seus efeitos nas crianças. Sendo assim objetivamos avaliar o efeito de 24 sessões de treino pliométrico sobre a força muscular em crianças de 7, 8 e 9 anos de idade. A amostra foi composta por 116 meninos entre os 7 e 9 anos, divida em controle (GC=43) e grupo treinado (GT=73). Ambos os grupos foram submetidos aos testes de antropometria, dobras cutâneas, impulsão horizontal e preensão manual, antes (T0) e após (T1) o treino pliométrico. O treino teve a duração de 24 sessões, com duas sessões semanais, iniciando com 50 saltos, com um aumento progressivo das repetições chegando a 120 saltos. Foram utilizados o teste T de student pareado e o não pareado pelo GraphPad Prism 5, os resultados estão expressos através da Média ± DP e p<0,05. Estudo aprovado no CEP/CCS/UFPE sob o protocolo CAAE04723412400005208. Na comparação do T0 vs. T1 o grupo GT apresentou os seguintes resultados: estatura (T0 = 128,7±6,9cm vs. T1 = 131,6±3,1cm), dobra subescapular (T0 = 7,2±3,9mm vs. T1 = 8,0±4,0mm), impulsão horizontal (T0 = 110,9±18,6cm vs. T1 = 130,6±17,1cm), preensão manual direita (T0 = 10,4±3,1mm vs. T1 = 11,3±3,1mm) e esquerda (T0 = 10,0±3,4mm vs. T1 = 11,0±3,0mm). O grupo controle não apresentou diferenças nas variáveis estudadas. Na comparação do T1 do GT e GC obtivemos os seguintes resultados: impulsão horizontal (GC: T1=119,3±16,5cm; GT: T1=130,6±17,2cm) e dobra subescapular (GC: T1= 6,5±2,6mm; GT= 8,0±4,0mm). O treino pliométrico mostra-se eficaz para o aumento da força muscular em crianças dos 7, 8 e 9 anos de idades.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18134
Aparece na(s) coleção(ções):TCC - Educação Física (Bacharelado)

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CARNEIRO, Renata Cecília Barbosa.pdf1,66 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons