Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18092
Title: Efeitos da desnutrição proteica perinatal sobre a quimiossenssibilidade respiratória em ratos neonatos
Authors: SOUZA, Kássia Letícia Chagas Coutinho de
Keywords: Desnutrição proteica;Técnicas de Diagnóstico do Sistema Respiratório;Doenças respiratórias.
Issue Date: 4-Mar-2015
Abstract: Modelos de desnutrição proteica, como redução do teor de proteíco na dieta tem sido utilizado para estudar os principais mecanismos geradores de doenças não transmissíveis na vida adulta. Estudos têm demonstrado que disfunções respiratórias e de quimiossensibilidade podem contribuir para o desenvolvimento de doenças na fase adulta na prole de ratas submetidas a desnutrição proteica no período perinatal (gestação e lactação). Entretanto, não está claro a partir de que momento essas alterações fisiológicas são iniciadas. Assim, avaliamos a função ventilatória de neonatos provenientes de mães submetidas a desnutrição proteica perinatal em condições basais e após ativação dos quimiorreceptores respiratórios. Foram utilizados ratos Wistar provenientes de mães que receberam dieta normoproteica (NP-17% de proteína) ou dieta hipoproteica (HP-8% de proteína) durante o período perinatal. No 1º, 5º, 7º, 14º, 21º e 30º dias de vida por pletismografia de corpo inteiro foi avaliado a frequência respiratória (FR), o volume corrente (VT) e o volume minuto (VE). Foi observado que o peso e o comprimento corpóreo naso-anal da prole de ratos submetidos a desnutrição proteica no período de gestação e lactação do 1º ao 21º dia de vida apresentam um menor peso corpóreo. Além disso, foi visto também que no 1º, 14º e 30º dias de vida o grupo hipoproteico apresentaram menor comprimento. Com relação aos parâmetros ventilatórios, foi observado que a FR basal dos animais provenientes de mães que receberam a dieta hipoproteica apresenta-se reduzida ao 7° dia de vida e aumentada no 30° dia de vida. Ao estimular os quimiorreceptores periféricos foi observado que houve uma diminuição da FR no 5° e no 7° dias de vida, também uma diminuição do VE no 5° dia de vida, porém, os valores do VT foram similares em todas as idades. Ao inibir os quimiorreceptores periféricos observou-se que ao 30° dia de vida há uma diminuição da FR na prole que sofreu a desnutrição proteica. Como também uma diminuição do VT ao 1º dia de vida e um aumento no 14º dia de vida, associado com uma diminuição do VE no 1º dia de vida. A desnutrição proteica parece ser capaz de diminuir os valores ventilatórios desde os primeiros dias de vida e aumentar os parâmetros ventilatórios no 14º dia de vida, mostrando que a maturação do sistema respiratório foi prejudicada.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18092
Appears in Collections:TCC - Ciências Biológicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SOUZA, Kássia Letícia Chagas Coutinho.pdf762.64 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons