Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18042
Título: Temperatura da superfície nos materiais de pavimentação: uma contribuição ao desenvolvimento urbano
Autor(es): NETO, Raul Xavier de Macedo
Palavras-chave: Temperatura da Superfície. Materiais. Armazenamento de Calor. Áreas Verdes. Conforto Térmico.;Surface Temperature, Materials, Heat Storage, Green Areas and Thermal Comfort
Data do documento: 20-Jun-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O presente estudo teve como objetivo geral, avaliar a temperatura da superfície de alguns materiais utilizados na pavimentação do solo, de recintos urbanos na cidade do Recife-PE, visando determinar a contribuição desses materiais nas mudanças das variáveis climáticas, sobretudo para o aumento da temperatura e para a redução da umidade relativa do ar, objetivando mitigar os impactos das superfícies impermeabilizadas na qualidade ambiental dos recintos urbanos e melhorar o conforto térmico dos citadinos. Para isto, foram utilizadas duas imagens do sensor TM, a bordo do satélite Landsat 5, e elaborada uma classificação das temperaturas de superfície na cidade do Recife. Foi selecionado um recorte espacial, representativo de maior temperatura que corresponde ao 1ª Jardim de Boa Viagem, zona sul da cidade. A partir dos aspectos da morfologia urbana e características de uso e ocupação do solo, foram selecionados quatro pontos para a coleta de dados climáticos. Caracterizou-se o perfil microclimático do local e identificaram-se nove tipos de materiais de pavimentação. Em seguida mediram-se as temperaturas de superfície de cada material relacionando-os com as variáveis climáticas e os aspectos da forma urbana do local. Os materiais de pavimentação que apresentaram as maiores temperaturas de superfície tenderam a possuir cores escuras, como o asfalto, pedras portuguesas nas cores pretas, blocos de concreto intertravado nas cores vermelho e cinza-escuro e o concreto, apesar de possuir uma coloração cinza-claro. Estes materiais possuem baixos valores de albedo, visto que absorvem grandes quantidades de radiação solar, armazenados em seu interior, sob a forma de calor. Outro ponto a ser destacado, é a impermeabilidade dos materiais. As superfícies que apresentam as maiores temperaturas tendem a ser totalmente impermeáveis, ou seja, superfícies que não possuem poros, impedindo que a água da chuva escoe por entre os pavimentos e seja armazenada nas camadas e no solo abaixo dele. Em dias ensolarados, a água, quando evapora, resfria o pavimento. O presente estudo constatou que os materiais mais utilizados no revestimento do solo urbano são os que possuem as maiores temperaturas de superfície. Portanto, recomenda-se a preservação de áreas verdes e da arborização já existente; a elaboração de políticas públicas que incentivem a implantação da vegetação dentro de grandes empreendimentos imobiliários e industriais, ou seja, um maior percentual de utilização do terreno destinados a vegetação.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18042
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Desenvolvimento Urbano

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO (RAUL XAVIER).pdf7,49 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons