Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17972
Title: Morfologia epidérmica e trocas gasosas em variedades de cana-deaçúcar com diferentes graus de tolerância à deficiência hídrica
Authors: DUDA, Lumena Feitosa
Keywords: Saccharum spp; Estresse hídrico; Trocas gasosas; Anatomia; Tolerância à seca; Cana-de-açúcar; Fisiologia vegetal; Plantas- anatomia; Water stress; Gas exchange; Anatomy; Drought tolerance
Issue Date: 19-Feb-2014
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: O aumento na demanda por produção de cana-de-açúcar exige maior investimento na geração de novas variedades tolerantes aos estresses bióticos e abióticos, melhorando as condições de plantio, colheita e produtividade. A produção de variedades tolerantes à seca, exige o conhecimento detalhado dos aspectos morfofisiológicos que distinguem entre os indivíduos mais vantajosos para o plantio. Dessa forma, esse trabalho teve como objetivo avaliar alguns aspectos anatômicos, espessura do mesofilo, arquitetura estomática, caracterização epidérmica, análises de trocas gasosas e potencial hídrico foliar entre as variedades sensíveis RB855536 e RB72454 e as tolerantes RB867515 e RB92579 ao déficit hídrico. Verificou-se que o potencial hídrico foliar (w) foi menor na estação seca, em especial àquele medido ao meio dia. A variedade RB72454 obteve menor valor de w (-2,21 MPa). Durante a estação seca, ocorreu uma compactação do mesofilo em cerca de 30% para todas as variedades. A taxa de assimilação líquida de CO2 (AL) apresentou maiores reduções na estação seca, para todas as variedades, com menores médias na variedade RB92579. Por outro lado, a condutância estomática (gs) foi maior na variedade RB855536. A morfologia dos estômatos e sua distribuição nas superfícies epidérmicas diferiu de acordo com a estação, com menor densidade estomática na estação seca em ambas faces. Uma ampla deposição de cera epicuticular sobre o poro estomático parece ser uma das principais características que determinam a menor gs no período seco.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17972
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Lumena Feitosa Duda.pdf3.72 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons