Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17945
Título: Três ensaios sobre os efeitos econômicos do horário de verão utilizando regressão descontínua
Autor(es): MACHADO, Weily Toro
Palavras-chave: Economia da saúde;Avaliação de políticas públicas;Criminalidade;Desenho de regressão descontínua.;Crime e condições climáticas;Horário de verão;Política de saúde;Segurança pública;Health economics;Public policy evaluation;Crime;Regression discontinuity design
Data do documento: 26-Abr-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Este estudo é dividido em três capítulos. Usando dados diários para os estados Brasileiros e técnicas de regressão descontínua, verificamos a influência de um experimento natural, induzido pelo Horário de Verão (HV), no cotidiano das pessoas através de dois canais: (a) distúrbios do sono e (b) luminosidade. As seguintes variáveis de interesse são analisadas: 1) Internações hospitalares decorrentes de complicações relacionadas a diabetes mellitus; 2) Homicídios provocados por arma de fogo; 3) Mortes por infarto agudo do miocárdio. No primeiro capítulo, utilizando dados do Sistema de Informações Hospitalares (SIH/DATASUS), do Ministério da Saúde do Brasil, exploramos o impacto da privação do sono, provocada pelo HV, sobre as internações de indivíduos que tem Diabetes Mellitus (DM). O estudo traz fortes indícios de que a entrada do HV aumenta internações por DM em 6-8% nos estados adotantes da política, enquanto nenhuma variação ocorre nos estados não tratados. No segundo capítulo, usando dados do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM/DATASUS), analisamos o impacto dessa política sobre o número homicídios. Encontramos evidências robustas em favor de uma redução em torno de 14% no número de homicídios nos estados tratados. Este efeito se concentra principalmente em horas que antes do HV eram escuras e após a transição passaram a ser claras. Novamente, as estimativas para os estados não tratados não apresentam nenhuma significância. No terceiro capítulo, também com dados do SIM/DATASUS, analisamos o efeito do HV sobre mortes decorrentes de infarto agudo do miocárdio. Nos Estados que adotam a política, há um aumento de 7-8,5% no número dessas mortes, e nenhuma relação estatística para os estados que não adotam a política.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17945
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Economia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese Weily.pdf497,84 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons