Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1785
Título: Características subgenotípicas, filogenéticas e correlação entre os níveis séricos do antígeno de superfície do vírus da hepatite B e o HBV DNA (viremia). Recife, Brasil
Autor(es): Maria Fernandes de Moura, Izolda
Palavras-chave: HBV;Técnicas genéticas;Genótipo;HBV DNA;HBsAg
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria Fernandes de Moura, Izolda; Pessoa de Almeida Lopes, Edmundo. Características subgenotípicas, filogenéticas e correlação entre os níveis séricos do antígeno de superfície do vírus da hepatite B e o HBV DNA (viremia). Recife, Brasil. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: Trata-se de dois estudos realizados em pacientes com infecção crônica pelo vírus da hepatite B, com idade média de 50 anos, sendo 37 (66%) do sexo masculino, provenientes do ambulatório de hepatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco. O primeiro estudo teve como objetivo identificar a distribuição subgenotípica do vírus da hepatite B (HBV) e elaborar estudo evolutivo através da confecção da árvore filogenética. O segundo objetivou avaliar a correlação entre os níveis séricos do antígeno de superfície do vírus da hepatite B (HBsAg) e a quantificação do HBV DNA (viremia). No primeiro estudo as amostras foram submetidas à extração do DNA e um fragmento de 1306 pares de bases compreendendo parcialmente o HBsAg e as regiões codificadoras da polimerase (S/POL) foi extraído e amplificados por nested PCR. As sequências foram subgenotipadas através da reconstrução filogenética, usando sequências e referências de cada genótipo obtidas do GenBank(n=267), e submetidas à análise Bayesiana a fim de inferir a dinâmica e o tempo de evolução linhagem-específica. No primeiro estudo, identificou-se que o subgenótipo A1 foi o de maior prevalência (78%), e de acordo com a disposição dos mesmos na árvore filogenética, admite-se que provêm de uma linhagem ancestral comum. A análise Bayesiana sugere que provavelmente foi introduzido em nossa região através da imigração de escravos provenientes da África, uma vez que, esse genótipo também é prevalente no continente africano. O segundo estudo teve como objetivo avaliar a correlação entre os níveis séricos do HBsAg e o HBV DNA (viremia) em pacientes com infecção crônica pelo HBV. As amostras foram submetidas à quantificação sérica do HBsAg por ensaio imuno-enzimático por quimioluminescência com micropartículas, as aminotransferases foram quantificadas pelo método cinético automatizado e a quantificação do HBV DNA foirealizada pelo método de PCR real- time (SITNIK et al, 2010). Identificou-se correlação entre os testes HBsAg quantitativo e o HBV DNA (viremia) (p = 0, 0500), como também, entre os níveis séricos do HBsAg e os valores da alanina aminotransferase (ALT) (p = 0, 0306). Estes dados sugerem que a quantificação do HBsAg pode ser considerada ferramenta para avaliação da replicação do vírus da hepatite B, assim como para avaliação da atividade bioquímica da infecção por este agente
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1785
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6691_1.pdf1,6 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.