Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17846
Título: Custos do câncer do colo uterino: revisão das técnicas de apuração de custos em estudos publicados entre 2010-2013
Autor(es): LANGLOIS, Luciana Santos
Palavras-chave: Custos e análise de custo; Economia da saúde; Neoplasias de colo de útero; costs and cost analysis; Health economics; Cervical cancer
Data do documento: 21-Abr-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O carcinoma do colo uterino é o quarto tipo de câncer mais frequente na população feminina e responsável por 12% de todos os cânceres em mulheres. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou 528.000 novos casos e 265.000 óbitos esperados por esta causa em 2012, cerca de 85% de sua incidência em países menos desenvolvidos. Diante de um problema de saúde pública dessa magnitude, a alocação dos recursos de forma racional visa garantir uma melhoria nos padrões de saúde para que o acesso seja com equidade e integralidade. Revisar as técnicas de apuração dos custos do câncer de colo uterino em estudos publicados no período de janeiro de 2010 a abril de 2013.Foi realizada busca na base do Medline (via PubMed) utilizando as palavras-chave: “costs and cost analysis” and “cervical cancer”, de janeiro de 2010 à 22 de abril de 2013, sendo recuperados 261 estudos não duplicados. No entanto, 116 foram excluídos pelo título, por não se tratar de avaliações dos custos, 145 artigos foram excluídos pela leitura do resumo e destes, catorze foram lidos integralmente e incluídos no estudo, os quais foram avaliados quanto aos critérios do roteiro do Consolidated Health Economic Evaluation Reporting Standarts (CHEERS). Observou-se que nenhum estava de acordo com todos os critérios preconizados no CHEERS. Quanto ao desenho, quatro (28,5%) eram estudos de custo em coortes retrospectivas, um (7,1%) apresentou um corte transversal, quatro (28,5%) realizaram análise de custo do tipo parcial, três (21,4%) usaram análise de custo-efetividade e duas (14,2) análises de custo da carga da doença. A grande maioria, dez (71,4%), dos catorze estudos selecionados adotou a perspectiva do Sistema Nacional de Saúde, três (21,4%), a perspectiva da sociedade e um (7,1%), a hospitalar. Encontrou-se grande heterogeneidade na forma de obtenção dos custos, à exceção de um, o que tornou impossível a comparação. Espera-se que este trabalho possa auxiliar futuros estudos de avaliação econômica com a utilização dos roteiros e assim possa direcionar melhor as pesquisas e contribuir com os tomadores de decisão na melhor alocação dos recursos em saúde.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17846
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Gestão e Economia da Saúde

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Luciana-Angela RETIFICACAO 30-04-2016.pdf998,23 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons