Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17795
Título: Fatores associados à mortalidade em pacientes idosos internados em unidade de terapia intensiva
Autor(es): LUCENA, Marcos Vinícius Ferraz de
Palavras-chave: APACHE II; SAPS 3; fatores associados; mortalidade; idosos; unidade de terapia intensiva; APACHE II; SAPS 3; prognostic factors; mortality; the elderly; intensive care unit
Data do documento: 1-Abr-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Referencial: A população mundial tem mostrado um crescente aumento no número de pessoas idosas nas últimas décadas. Pacientes idosos internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) apresentam taxas de mortalidade e custos elevados. A mortalidade em curto prazo tem sido relacionada à gravidade da doença de base aferida através de escores, que fornecem parâmetros para o acompanhamento clínico e prognóstico do paciente. Entre esses escores destacam-se o Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II (APACHE II) e o Simplified Acute Physiology Score 3 (SAPS 3), amplamente utilizados. A avaliação do prognóstico dos pacientes idosos internados em UTIs é necessária, pois permite melhorar o cuidado com esses pacientes. Os objetivos deste estudo foram identificar os fatores associados à mortalidade e comparar os escores APACHE II e SAPS 3 em pacientes idosos internados em UTI. Métodos: Foram consecutivamente acompanhados 174 pacientes idosos internados em um período de doze meses na UTI. Foram analisados adicionalmente ao APACHE II e SAPS 3 como possíveis fatores associados à mortalidade a presença de hiperglicemia de estresse, a necessidade de ventilação mecânica invasiva, a presença de insuficiência renal aguda, o nível de consciência rebaixado e o uso de vasopressores. A coleta de dados foi realizada através da análise dos prontuários dos pacientes e entrevista com os familiares e as informações foram inseridas em ficha padrão com as variáveis necessárias ao estudo e aferição dos escores APACHE II e SAPS 3. Os desfechos estudados foram óbito e alta hospitalar. Resultados: A mortalidade na UTI e hospitalar (UTI e após alta da UTI) da população estudada foi, respectivamente, de 17,8% e 29,8%. A análise multivariada mostrou que a Ventilação Mecânica Invasiva (VMI), Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e Pressão Arterial Média (PAM) foram fatores associados positivamente ao SAPS 3 e VMI e DPOC foram fatores associados positivamente ao APACHE II na predição de óbito hospitalar. O APACHE II e o SAPS 3 tiveram médias de 19,1 e 43,6 pontos, respectivamente. O estudo demonstrou que o APACHE II e o SAPS 3 apresentaram aceitável discriminação, calibração adequada e a mortalidade observada foi maior que a predita. Conclusão: Nos pacientes idosos internados na UTI, necessidade de VMI, portadores de DPOC e PAM < 70 mmHg foram preditores de pior evolução hospitalar. O desempenho do APACHE II foi semelhante ao do SAPS 3 em pacientes idosos internados em UTI.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17795
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências da Saúde

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO - PDF.pdf2,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons