Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17717
Título: Desempenho de crianças e adolescentes com baixa visão na Escala de Equilíbrio Pediátrica
Autor(es): SANTOS, Ágda Cristina de Sousa
Palavras-chave: Pessoas com deficiência visual; Desenvolvimento infantil; Equilíbrio Postural; Baixa visão; People with visual impairment; Child development; Postural balance; Low vision
Data do documento: 29-Fev-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Deficiência visual pode implicar em comprometimento de atividades básicas relativas ao movimento, como o equilíbrio. É importante mensurar esse comprometimento de acordo com a idade, para averiguar e posteriormente acompanhar o desenvolvimento motor das crianças e adolescentes. O objetivo desse estudo foi investigar o desempenho de crianças e adolescentes com baixa visão na Escala de Equilíbrio Pediátrica (EEP), bem como, avaliar a relação do escore alcançado na EEP com a percepção dos pais quanto à qualidade de vida dos seus filhos e à assistência especializada por eles recebida. A EEP foi administrada em 41 sujeitos, entre cinco e 14 anos de idade, com baixa visão e sem comprometimento motor ou cognitivo associado, em população do agreste de Pernambuco e Recife. A EEP foi desenvolvida como medida de funcionalidade de equilíbrio, adaptada da Escala de Equilíbrio de Berg e proposta para crianças na faixa etária de cinco a 15 anos. É uma escala de alta confiabilidade para teste-reteste e relativamente simples e de fácil administração. O teste utilizado para avaliação da percepção dos pais quanto à qualidade de vida das crianças/adolescentes foi o PedsQLTM Generic Core Scale 4.0 e os dados sobre a deficiência visual foram obtidos através do cadastro dos indivíduos no centro de referência onde se realizou a coleta. Utilizou-se a estatística descritiva para o cálculo de tendência central (medianas), dispersão (quartis) e frequência simples. O coeficiente de correlação de Spearman foi utilizado para verificar a correlação entre a idade e a pontuação obtida na escala e também para a relação deste com os escores da escala de qualidade de vida. O teste de Mann-Whitney foi utilizado para calcular a associação entre o escore alcançado na EEP e o tipo de assistência especilizada recebida. Houve uma correlação de 0,52, com Intervalo de Confiança (95%) de 0,24-0,74, entre a pontuação obtida na EEP e a idade. A variação de pontuação foi maior em crianças entre cinco a sete anos de idade e mínima em grupos etários mais velhos. A pontuação máxima foi obtida em seis itens da escala por todas as crianças e adolescentes. Não houve correlação significante entre o questionário de qualidade de vida aplicado aos pais e responsáveis com o desempenho das crianças e adolescentes na EEP, bem como a associação entre este e a assistência especializada recebida. A EEP mostrou-se como um instrumento de triagem de fácil aplicação em crianças e adolescentes com baixa visão, sendo mais adequada para crianças de cinco a sete anos de idade, porém sem discriminar déficit de equilíbrio, com efeito teto para crianças e adolescentes mais velhos.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17717
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde da Criança e do Adolescente

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO - Desempenho de crianças e adolescentes com baixa visao na eep -Agda.pdf2,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons