Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17670
Título: Taxonomia das espécies da família arcidae (bivalvia: pteriomorpha) no Brasil
Autor(es): FRANCISCO, Jonata de Arruda
Palavras-chave: Arcidae; Taxonomia; Brasil; Biodiversidade; Arcidae; Taxonomy; Brazil; Biodiversity
Data do documento: 6-Ago-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A família Arcidae Lamarck, 1809 é composta por bivalves marinhos, raramente estuarinos ou dulciaquícolas, filtradores, dióicos, distribuídos nos oceanos tropicais e temperados do planeta, habitando desde águas rasas ao mar profundo. As descrições e ilustrações propostas para as espécies que ocorrem em águas brasileiras dificultam a identificação das espécies. Este trabalho objetivou revisar a Taxonomia das espécies da família Arcidae no Brasil com base em comparações com o material-tipo e apresentar diagnoses e descrições embasadas em dados moforlógicos, merísticos e morfométricos. Além de atualizar os dados distribucionais e aspectos ecológicos para cada espécie. Os seguintes táxons são reconhecidos para águas brasileiras: Subfamília Arcinae - Acar lepidoformis Francisco, Barros e Lima, 2012, Acar naturezae Francisco, Barros e Lima, 2012, Acar oliveirae Francisco, Barros e Lima, 2012, Acar transmar Simone, 2009, Acar n. sp., Arca umbonata Lamarck, 1819, Arca zebra (Swainson, 1833), Asperarca tarcylae Francisco, Barros e Lima, 2012, Barbatia dominguensis (Lamarck, 1819), Cucullaearca candida (Helbling, 1779); Subfamília Anadarinae - Anadara notabilis Röding, 1798, Anadara taludae (Francisco, Barros e Lima, 2012), Bathyarca glomerula (Dall, 1881), Bathyarca sp., Bentharca asperula (Dall, 1881), Lunarca ovalis (Brugüiere, 1789), Samarca ectocomata (Dall, 1886), Scapharca brasiliana (Lamarck, 1819), Scapharca chemntzii (Philippi, 1851). As espécies registradas previamente como Barbatia tenera Adams, 1845, Anadara baughmani Hertlein, 1951 e Bathyarca pectunculoides Scacchi, 1834 ainda não podem ser confirmadas em águas brasileiras por falta de exemplares depositados com referencia a esta localidade. O gênero Paranadara atualmente é um sinônimo de Anadara. São apresentados os aspectos ecológicos, padrões de distribuição geográfica e batimétrica dos táxons estudados. Ainda é recomendado o uso de características conquiliológicas como ferramenta eficiente e prática na identificação dos táxons aqui estudados.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17670
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Gestão e Economia da Saúde

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JONATA DE ARRUDA FRANCISCO TESE DE DOUTORADO 2015 OCEANOGRAFIA.pdf5,89 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons