Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17661
Título: Caracterização da micota liquenizada corticícola em brejos de altitude no Estado de Pernambuco
Autor(es): SOBREIRA, Priscylla Nayara Bezerra
Palavras-chave: Brejos de altitude; diversidade; liquens corticícolas; ecologia; Brejos de Altitude; diversity; corticicolous lichens; ecology
Data do documento: 23-Fev-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Os fungos liquenizados constituem associações simbióticas entre fungos e algas, e/ou cianobactérias, onde é formado um talo vegetativo que não é conhecido nos outros fungos. Esses fungos são capazes de colonizar o substrato, dependendo das condições físicas e químicas do substrato e do ambiente. Este trabalho teve como objetivos: (i) conhecer a diversidade da micota liquenizada em Brejos de Altitude de Pernambuco; (ii) comparar a riqueza e composição de espécies de liquens corticícolas crostosos entre as áreas; (iii) determinar fatores ambientais que influenciam a ocorrência dos fungos liquenizados nas áreas estudadas. Foram realizadas duas visitas a campo em cada área de estudo, nos municípios de Caruaru e Triunfo em agosto e outubro/2013, e Serra Negra em junho/2014. As coletas foram realizadas em um transecto de 200 m de comprimento em cada área, ao longo do qual foram demarcados pontos a cada 10 m, selecionando-se a árvore mais próxima de cada ponto que apresentava cobertura liquênica. Foram identificadas 112 espécies liquênicas, representando 14 famílias e 34 gêneros. Maior riqueza foi registrada em Caruaru, seguida de Triunfo e Serra Negra, sendo influenciada pela altitude e transmitância total de luz. A composição de espécies indica que Triunfo difere das outras áreas estudadas, e é afetada significativamente pelo diâmetro à altura do peito (DAP) do hospedeiro selecionado e luminosidade. Caruaru e Serra Negra mostram correlação significativa com a altitude. Os resultados revelam que a comunidade de liquens em Brejos de altitude é influenciada por fatores abióticos e bióticos.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17661
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia de Fungos

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PRISCYLLA NAYARA BEZERRA SOBREIRA.pdf2,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons