Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17651
Título: Política de educação (em tempo) integral: uma análise do discurso de atores participantes do Programa Mais Educação
Autor(es): FERREIRA, Danielle de Farias Tavares
Palavras-chave: Programa Mais Educação; Educação em Tempo Integral; Discurso governamental sobre juventudes; Modo de tratamento dos jovens; Município do Ipojuca – PE; More Education Program; Education Full-Time; Governmental discourse on youth; Treatment of young mode; Municipality of Ipojuca-PE
Data do documento: 25-Set-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O presente trabalho insere-se nos debates nacionais sobre a atual política de educação (em tempo) integral, mais especificamente, o Programa Mais Educação implementado desde 2007 pelo Governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Tendo por objetivo identificar e delimitar as concepções de educação integral e juventude a partir da análise crítica do discurso oficial e dos discursos de seus agentes envolvidos, a presente pesquisa constituiu sua revisão bibliográfica direcionada à composição das categorias teóricas: Política Pública, Juventude e Educação Integral, as quais têm sido trabalhadas por autores vinculados a uma perspectiva histórico-crítica. A metodologia se amparou numa abordagem qualitativa integrada ao método de Análise Crítica do Discurso (FAIRCLOUGH, 2001), e a coleta de dados envolveu entrevistas semiestruturadas com os agentes executores da educação integral, pertencentes à rede pública de ensino do município do Ipojuca (PE), e jovens nela inseridos. Além das entrevistas, os trabalhos de campo envolveram o levantamento de dados por meio do uso da técnica de Grupo Focal junto a um grupo de seis jovens, bem como o exame de documentos coletados na Secretaria de Educação municipal e no Ministério da Educação. A análise dos dados veio indicando que o Programa Mais Educação faz parte de um conjunto de programas que concebe a política de juventude como políticas sociais setoriais dirigidas a determinadas realidades e “tipos” de jovens considerados em situação de risco e vulnerabilidade social. O discurso que toma a juventude como um conjunto social repleto de perfis e traços juvenis diversificados não se evidenciou como discurso hegemônico presente nos contextos de produção, distribuição e consumo dessa política. As contradições encontradas no discurso sobre a concepção de juventude expressou uma tentativa de equilibrar o jovem na condição de sujeito portador de problemas, sendo vulnerável sócio-biologicamente, com outro discurso que convida os professores a compreenderem este grupo social como agentes de sua própria história, isto é, não podendo mais ser considerado como um grupo etário homogêneo. Do mesmo modo, a concepção de educação integral presente nele carregou contradições quando veio ressignificando o escolanovismo liberal dentro do contexto das políticas neoliberais refletidas nos processos de ampliação das funções da escola, nas parcerias público-privadas, na inclusão de territórios educativos para além do espaço escolar, dentre outros. Os jovens envolvidos expressaram as dificuldades e os benefícios do PME levando-nos a indicar uma reorientação dessa política com fomento de ações na direção de um trabalho pedagógico coletivo com os jovens e não apenas para eles.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17651
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_Danielle_Farias_Tavares_Ferreira.pdf1,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons