Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17621
Title: Desenvolvimento de uma bebida funcional a base de caju (Anacardium occidentale L.) com Lactobacillus casei DN 114-001 livre e microencapsulado
Authors: SOARES, Bruna Lúcia de Mendonça
Keywords: Anacardium occidentale; Microcápsulas; Probióticos; Quitosana; Anacardium occidentale; Microcapsules; Probiotics; Chitosan
Issue Date: 23-Feb-2016
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: O grande interesse e consumo de alimentos contendo probióticos deve-se aos benefícios trazidos à saúde. Entretanto a maioria desses produtos são de origem láctea, resultando num impedimento para o consumo por alguns grupos populacionais, como intolerantes à lactose, alérgicos à proteína do leite e hipercolesterolêmicos, tornando o uso de alimentos de origem vegetal uma prática promissora. A técnica da microencapsulação contribui para aumentar a sobrevivência dos microrganismos por formar uma barreira física contra condições desfavoráveis. Desta forma, o presente estudo tem como objetivo desenvolver uma bebida funcional à base de caju adicionada de Lactobacillus casei, livre ou microencapsulado com matriz alginato de cálcio-quitosana. Microcápsulas foram preparadas pelo método de emulsão/gelificação interna, com o alginato como agente encapsulante e posterior revestimento das esferas com quitosana. As microcápsulas de L. casei foram caracterizadas quanto à morfologia, tamanho das partículas e rendimento de encapsulação. A bebida de caju foi elaborada com 45% de polpa e adição de 10% de açúcar e teve sua composição físico-química e nutricional detalhada. As bebidas controle (sem probióticos), com L. casei livres e com microcápsulas foram armazenadas em refrigeração (4°C) por 4 semanas, análises físico-químicas e microbiológicas foram realizadas nos tempos 0, 7, 14, 21 e 28 dias. Simulações gastrointestinais (SGI) in vitro, no início e final do armazenamento, foram realizadas para avaliar a taxa de sobrevivência das células. Foram realizados testes de aceitabilidade e intenção de compra com o objetivo de obter informações sobre a aceitação do consumidor quanto as três formulações da bebida de caju. Durante SGI, L. casei livre perdeu toda viabilidade, enquanto que células encapsuladas mostraram resistência, reduzindo 1,42 log UFC após simulação gástrica e <1 log UFC ao termino da simulação intestinal. Após 28 dias de estocagem, bebidas contendo microcápsulas e células livres apresentaram 10,2 e 8,1 log UFC/mL, respectivamente. As características físico-químicas mantiveram-se estáveis durante armazenamento e frente bebida controle (sem probióticos). A análise sensorial demonstrou que as bebidas foram aceitas pelos provadores, apesar das microesferas terem sido percebidas. Concluímos que bebida de caju é um substrato favorável para sobrevivência de L. casei livre e microencapsulado por 28 dias e que a microencapsulação é uma técnica promissora para prolongar a viabilidade das células e a sobrevivência em SGI.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17621
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO_BRUNA MENDONÇA_CD.pdf2.27 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons