Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17616
Título: Influência do ganho de peso no perfil lipídico em uma coorte de adolescentes do Recife-PE
Autor(es): SILVA, Aline Rafaelly Apolônio da
Palavras-chave: Adolescente. Ganho de peso; Índice de massa corporal; Dislipidemia; Doenças cardiovasculares; Adolescent. Weight gain.; Body mass index; Dyslipidemia; Cardiovascular diseases
Data do documento: 18-Jan-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O ganho de peso excessivo durante as duas primeiras décadas de vida, parece resultar em um efeito adverso no perfil lipídico e a trajetória ascendente do índice de massa corporal/idade (IMC/I) durante a fase de crescimento e desenvolvimento pode estar associada ao surgimento de fatores de risco cardiovasculares mesmo que o aumento em escore z seja pequeno. A dissertação teve como objetivo avaliar a influência do ganho de peso sobre o perfil lipídico; verificar o perfil lipídico, estado nutricional, estilo de vida e situação socioeconômica dos adolescentes no baseline e no follow-up; comparar a variação do perfil lipídico entre os sexos; correlacionar a variação do escore z do IMC/I com a variação do perfil lipídico e investigar a influência do ganho de peso excessivo no perfil lipídico. Foi realizado um estudo de coorte com 135 adolescentes de ambos os sexos, com idade entre 10 a 14 anos no baseline e 15 a 19 anos no follow-up matriculados na rede pública de ensino do Recife-PE. Foram avaliadas variáveis antropométricas, bioquímicas, consumo alimentar, estilo de vida e aspectos socioeconômico e demográficos. O ganho de peso foi avaliado pela diferença entre o escore z do IMC/I no follow-up e no baseline e a variação do perfil lipídico foi determinada pela diferença entre as frações lipídicas no follow-up e no baseline. A análise estatística foi realizada pelo programa statistical package for the social sciences for windows student (SPSS) version 13.0. Os resultados mostraram que o aumento do escore z do IMC/I se correlacionou positivamente com os níveis de triglicerídeo (TG, p=0,006) e com a razão triglicerídeo/lipoproteína de alta densidade (TG/HDL-c, p=0,003) no sexo masculino e com colesterol total (CT, p=0,024), lipoproteína de baixa densidade (LDL-c, p=0,003) e colesterol não-HDL (p=0,002) no sexo feminino, além de uma correlação inversa com o HDL-c (p=0,037). Para cada unidade de aumento no escore z houve um aumento de 14,7 mg/dL no TG e 0,4 na razão TG/HDL-c no sexo masculino e um aumento de 9,4 mg/dL no CT, 11,6 mg/dL no LDL-c, 11,8 mg/dL no colesterol não-HDL e uma redução de 2,3 mg/dL no HDL-c no sexo feminino. No sexo masculino, o terceiro tercil de ganho de peso apresentou maiores elevações nos níveis de TG (p=0,003) e na razão TG/HDL-c (p=0,002) quando comparado ao primeiro tercil. Já no sexo feminino, o terceiro tercil apresentou maiores elevações nos níveis de CT (p=0,004), LDL-c (p=0,005) e no colesterol não-HDL (p=0,004) quando comparado ao primeiro tercil. Quanto ao ganho de peso excessivo, encontramos resultados similares aos observados para o sexo masculino e para o sexo feminino surge um maior aumento da razão TG/HDL-c (p=0,031), do colesterol não-HDL (p=0,035) e menor aumento do HDL-c (p=0,006) no grupo com ganho de peso excessivo. É preciso mais estudos para a elaboração de uma classificação para o ganho de peso ideal durante a adolescência, visando a promoção do crescimento adequado e restrição do ganho de peso excessivo diante dos indícios de que os adolescentes com maior aumento do escore z do IMC/I durante o crescimento pode ter um perfil lipídico mais desfavorável.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17616
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Nutrição

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO VERSÃO ONLINE CD.pdf3,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons