Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17511
Título: Impacto da hiperglicemia gestacional sobre o padrão morfofuncional cardíaco da prole adulta
Autor(es): SILVA, Odair Alves Da
Palavras-chave: Programação fetal, Prole adulta, Função autonômica, Hiperglicemia, Insuficiência cardíaca.;Fetal programming, Adult offspring, Autonomic function, Hyperglycemia, Heart failure.
Data do documento: 27-Fev-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Introdução: O diabetes gestacional é um estado patológico que aumenta a incidência de complicações tanto para a mãe quanto para o feto. Dessa forma, a prole exposta a um ambiente fetal adverso pode apresentar susceptibilidade a doenças crônicas mais tarde na vida adulta, incluindo anormalidades cardiovasculares e metabólicas, as quais, aumentam o risco de morte prematura. No presente estudo, foram avaliados parâmetros metabólicos, biométricos e cardiovasculares em três idades diferentes na prole de ratas com diabetes mellitus. Métodos: O diabetes foi induzido em ratas Wistar ao dia 7 de gestação através de uma dose única de estreptozotocina (50 mg/kg) administrada por via intraperitoneal. A prole de mães controles (OC) e de mães diabéticas (OD) foi avaliada em três idades diferentes: 6, 12 ou 18 meses. A glicemia de jejum, o crescimento e a composição corporal foram avaliados. A pressão arterial basal e a função cardíaca foram avaliadas em ratos conscientes (por cateterismo arterial e ventricular). A função cardíaca também foi avaliada in vitro (através do experimento de coração isolado). A resposta barorreflexa à fenilefrina (FEN) ou nitroprussiato de sódio (NPS) foi determinada pelo método de regressão linear. A Influência simpática e parassimpática sobre o coração foi avaliada por bloqueio autonômico. O índice de hipertrofia ventricular foi determinado pelo peso seco dos ventrículos em relação ao peso do corpo. Resultados: A glicemia de jejum, a pressão arterial média e o tônus simpático estiveram elevados nos ratos OD com 12 (OD12) e com 18 meses de idade (OD18), quando comparados com os ratos OC de mesma idade. Os animais do grupo OD também mostraram deficiência no controle barorreflexo da frequência cardíaca, com menor resposta taquicárdica e inotrópica após administração de NPS. O efeito bradicárdico evocado pela FEN esteve também reduzido no grupo OD18. Durante a avaliação da função cardíaca in vivo, foi observado uma menor pressão sistólica do ventrículo esquerdo e uma menor +dP/dT nos ratos OD18, mostrando disfunção sistólica. Em todos os grupos OD foi observada alta pressão diastólica final do ventrículo esquerdo e baixo -dP/dT, mostrando uma disfunção diastólica. Todos os ratos do grupo OD também apresentaram índice elevado de hipertrofia ventricular e diminuição do peso relativo dos rins. Além disso, os ratos OD com mais de 12 meses apresentaram maior acúmulo de gordura abdominal e diminuição da sensibilidade cardíaca ao isoproterenol. Conclusões: O presente estudo demonstra que o diabetes gestacional pode induzir ao aparecimento de hiperglicemia, hipertensão e insuficiência cardíaca em idade mais avançada da prole, o que são fatores de risco importantes para a morte prematura. Portanto, é de extrema importância um controle glicêmico ideal na gravidez diabética como chave para prevenir doenças cardiovasculares na idade mais avançada da prole.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17511
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Bioquímica e Fisiologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_ODAIR_ALVES_DA_SILVA.pdf1,56 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons