Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17496
Título: Padrão de distribuição de fungos micorrízicos arbusculares e atividade microbiana do solo no Parque Nacional do Catimbau-PE
Autor(es): MARINHO, Frederico
Palavras-chave: Fungos do solo;Caatinga;Micorriza
Data do documento: 27-Fev-2014
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A Caatinga destaca-se como o mais complexo bioma brasileiro, apresentando variada cobertura vegetal. Contudo, encontra-se sob intensa utilização humana, com menos de 2% de seu domínio em unidades de proteção integral, tornando-se de fundamental importância estudos sobre sua biodiversidade e qualidade biológica. A comunidade microbiana do solo está envolvida em vários processos fundamentais à manutenção dos ecossistemas terrestres, e parâmetros que avaliem sua atividade servem como indicadores de qualidade do solo e da dinâmica dos ecossistemas. Entre esses a diversidade e a, atividade enzimática microbianas apresentam alta sensibilidade. Parte da comunidade microbiana é composta por fungos micorrízicos arbusculares (FMA) que formam a mais ampla simbiose entre fungos e plantas, proporcionando inúmeras vantagens e sendo indispensáveis para as comunidades vegetais. Considerando a necessidade de estudos na Caatinga este trabalho teve como objetivos: determinar a diversidade/distribuição da comunidade de FMA e a atividade microbiana do solo em fitofisionomias do Parque Nacional do Catimbau - PE (PARNA Catimbau): caatinga Strictu senso, caatinga de areia, carrasco, afloramento rochoso, e duas caatingas antropizadas. Seis amostras de solo compostas (seis subamostras) foram coletadas em maio e setembro de 2012 e março de 2013, em cada área. Registraram-se 80 táxons de FMA, distribuídos em 16 gêneros, com predominância de Glomus e Acaulospora. A caatinga de areia apresentou a maior riqueza de espécies, densidade de glomerosporos e diversidade pelo índice de Margalef. Os valores do carbono da biomassa micobiana, respiração edáfica basal e quociente metabólico do solo não diferiram estatísticamente entre as áreas. A colonização micorrízica, atividade da β-glicosidadse e desidrogenase apresentaram maiores valores na area de carrasco, enquanto os maiores valores da atividade da fosfatase ácida e hidrólise do diacetato de fluresceína foram registrados na caatinga stricto sensu e no afloramento rochoso, respectivamente. As comunidades de FMA nas áreas naturais tendem a ser mais similares, difereindo das áreas que sofreram antropização, o que indica influência do uso da terra entre outros fatores, na ocorrência desses fungos, ocasionando mudanças na comunidade. Dados da atividade microbiana do solo corroboram os resultados na comunidade de FMA, demostrando que a área antropizada sofre alteração significativa na comunidade microbiana.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17496
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências Biológicas

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTACAO BIBLIOTECA FINAL.pdf1,45 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons