Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17478
Título: Candidemia em neonatos: epidemiologia, perfil de susceptibilidade antifúngica e avaliação dos fatores de virulência dos agentes etiológicos
Autor(es): SILVA, Carolina Maria da
Palavras-chave: Candidemia;Neonatos;Epidemiologia;Candida sp.;Virulência;Susceptibilidade antifúngica;Candidemia;Neonates;Epidemiology;Candida sp.;Virulence;antifungal susceptibility
Data do documento: 19-Fev-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Infecções fúngicas hematológicas em neonatos ocorrem comumente associadas a diversos fatores. Dentre estas infecções destaca-se candidemia, a qual tem se tornado cada vez mais frequente. Os fatores relacionados incluem prematuridade e uso de dispositivos terapêuticos invasivos, determinando altos indíces de morbi-mortalidade. Neste contexto, medidas preventivas às infecções fúngicas e instituição do tratamento adequado podem melhorar o cenário atual. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi diagnosticar infecções fúngicas em neonatos, definir o perfil epidemiológico e caracterizar os agentes etiológicos quanto a virulência e susceptibilidade antifúngica. Assim, amostras de sangue foram coletadas e processadas para exame direto e cultura. A virulência das leveduras foi avaliada através da capacidade de adesão dos agentes às células HeLA e produção de biofilme. Os testes de susceptibilidade antifúngica foram procedidos de acordo com o Clinical Laboratory and Standards Institute (CLSI) utilizando anfotericina B, voriconazol, fluconazol e as equinocandinas. Também foram incluídas nos testes cepas controle (ATCC) de Candida tropicalis e C. parapsilosis. No diagnóstico, foram verificadas estruturas fúngicas em parasitismo compatíveis com leveduras, sendo isoladas C. parapsilosis, C. albicans, C. haemulonii, C. guilliermondii, C. famata e C. glabrata. A espécie mais isolada foi C. parapsilosis superando a ocorrência de C. albicans. Os dados epidemiológicos indicam como fatores associados aos casos de candidemia a prematuridade, baixo peso ao nascer, uso de dispositivos médico-invasivos e maior acometimento do sexo masculino. Com relação à virulência, isolados de C. albicans e C. glabrata foram os que apresentam maior capacidade de adesão às células HeLa e cepas de C. albicans e C. parapsilosis produziram biofilmes fortes. Também foi possível detectar raros casos de resistência aos antifúngicos testados. Os resultados obtidos ressaltam a importância do acompanhamento micológico em neonatos para minimizar o índice de morbi-mortalidades por infecções fúngicas, particularmente, candidemia.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17478
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Biologia de Fungos

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Candidemia em neonatos....pdf1,59 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons