Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17477
Title: Respostas auditivas de estado estável a ruído branco modulado em amplitude
Authors: ARAÚJO, Fabiana Cristina Mendonça de
Keywords: Potencial evocado auditivo de estado estável;Respostas evocados auditivos de estado estável.;Audição normal;Ruído branco;Limiar eletrofisiológico
Issue Date: 2-Jun-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: Introdução: As Respostas Evocadas Auditivas de Estado Estável (REAEE) é uma técnica de avaliação objetiva da audição e pode ser realizado com estímulos diversos em ambas as orelhas ao mesmo tempo. O método consiste em modular em amplitude e/ou freqência cada estímulo principal com uma freqüência diferente e apresentá-los simultaneamente. As REAEE ocorrem quando um estímulo repetitivo evoca respostas de ondas elétricas cujo componente de freqüência se matém constante em amplitude e fase durante o tempo de estimulação, denominadas respostas de estado estável (REST). No domínio da freqüência, a REST aparece na freqüência em que cada estímulo foi modulado. Dois tipos principais de estímulos têm sido utilizados, o tom puro e o ruído. Objetivo: Descrever os achados das Respostas Evocadas Auditivas de Estado Estável para adultos com audição normal, utilizando o estímulo de ruído branco modulado em amplitude. Método: 22 adultos com audição normal, com idades entre 18 e 34 anos. Foi utilizado como estímulo o ruído branco modulado em amplitudes de 85 Hz para a orelha esquerda e 95 Hz para a orelha direita, apresentados simultaneamente, em intensidades entre 80 e 10 dB peNPS. Resultados: Analisando as amplitudes das RAEE e do ruído foi observado que nas intensidades de 20 e 10 dB peNPS, não houve em média diferença estatística significante (p= 0,06) em ambas as intensidades, sendo assim sugeriu-se a intensidade de 30 dB peNPS para o registro significativo das RAEE a ruído branco modulado em amplitude. A fase das RAEE diminuiu com a diminuição da intensidade, entre 299 e 137 graus. A partir dos dados obtidos pela fase foi possível estimar a latência aparente, sendo observado um aumento da latência com a diminuição da intensidade, variando entre 17,3 ms e 20,4 ms entre as intensidades de 80 a 30 dB peNPS. Quanto aos limiares eletrofisiológicos foi possível o registro em média a 20 dB peNPS. Porém, propõe-se com limiar sugestivo de audição normal o de 30 dB peNPS, uma vez que todos os indivíduos obtiveram registro das RAEE nesta intensidade e sendo a diferença entre a amplitude das RAEE e do ruído estatística significante (p= 0). Quanto ao tempo de realização do exame observou-se que em média o tempo de registro aumentou com a diminuição da intensidade, sendo o tempo máximo utilizado para obtenção das respostas significativas de aproximadamente 1 minutos a 30 dB peNPS (limiar eletrofisiológico). Conclusões: Concluise que s REAEE a ruído branco modulado em amplitude caracterizam-se pela diminuição da amplitude da resposta e do ruído com a diminuição da intensidade do estímulo. Quanto ao tempo de teste, este exame demonstrou ser rápido na obtenção das respostas bilaterais necessária para conclusão do diagnóstico audiológico. Sendo assim as REAEE a ruído branco modulado em amplitude pode ser incluído como método de avaliação auditiva, principalmente com o objetivo de triagem auditiva, devido às características das respostas ao estímulo de ruído utilizado
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17477
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE Finalizada .pdf934.78 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons