Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17469
Title: Infecções fúngicas nosocomiais em unidade de terapia intensiva: ocorrência e controle
Authors: PARAHYM, Ana Maria Rabelo de Carvalho
Keywords: Infecção nosocomial; Fungos; Unidade de tratamento intensivo
Issue Date: 5-Jul-2012
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: Infecção fúngica nosocomial tem acarretado altos índices de mortalidade, sendo frequentes em pacientes de Unidades de Terapia Intensiva-UTI. No diagnóstico e tratamento, adequada conduta laboratorial através de exame direto e cultura torna-se indispensável. Ferramentas moleculares devem ser utilizadas como estratégia de identificação rápida e avaliação da similaridade genética entre os agentes etiológicos. Assim, o presente trabalho teve por finalidade diagnosticar Infecção fúngica nosocomial em pacientes de UTIs e detectar ocorrência destas infecções com mesma origem e perfil de sensibilidade antifúngica dos isolados. No período de março de 2008 a junho de 2011, foram coletadas 1.040 amostras clínicas, entre essas amostras de sangue, secreção traqueal, urina, vegetações cardíacas e líquido pleural, nas UTIs de quatro hospitais de Recife-PE, sendo isoladas 64 culturas incluindo Aspergillus flavus, Candida albicans, C. glabrata, C. guilliermondii, C. krusei, C. lusitaniae, C. parapsilosis, C. sake, C. tropicalis, Pseudozyma aphidis e Saprochaete capitata. A similaridade genética foi detectada através dos primers (GACA)4 e (GTG)5 em isolados de C. albicans, C. parapsilosis e C. tropicalis. A sensibilidade antifúngica de 38 isolados de Candida ao fluconazol mostrou resistência em 52,63%. Dos 13 isolados testados 76,9% foram resistentes ao voriconazol (4 de C. albicans e 6 de C. tropicalis). Resistência a anidulafungina não foi detectada em isolados de Candida, no entanto 8 isolados de C. parapsilosis e um de C. guilliermondii apresentaram concentrações inibitórias mínimas elevadas (2μg/mL). Os isolados de P. aphidis, S. capitata e A. flavus foram sensível ao voriconazol e dose-dependente ao fluconazol; sensível ao voriconazol, dosedependente ao fluconazol e resistente a anidulafungina; e sensível ao fluconazol, respectivamente. Todos os isolados testados foram sensíveis a anfotericina B. Ocorreu óbito em 39,7% dos pacientes. De acordo com nossos resultados concluímos que infecções fúngicas nosocomiais acometem pacientes de UTI, sendo C. albicans o agente etiológico mais frequente.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17469
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Biologia de Fungos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE ANA MARIA PARAHYM PARA BIBLIOTECA.pdf1.85 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons