Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17388
Título: Burnout em Docentes do Ensino Básico em Escolas Moçambicanas e Brasileiras
Autor(es): ABACAR, Mussa
Palavras-chave: Estresse. Burnout. Maslach Burnout Inventory. Estudo transcultural. Ensino fundamental. Saúde ocupacional do professor; Burnout. Maslach Burnout Inventory. Cross-cultural study. Primary school. Ocupational health of teachers
Data do documento: 16-Dez-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O fenômeno de burnout atinge trabalhadores de diferentes países do mundo, e tem sido reportado, na atualidade, como um problema internacional das organizações de trabalho, particularmente em instituições escolares. Assim, este trabalho busca estabelecer relações do conceito de burnout, a partir de uma perspectiva ética e êmica, em amostras de professores moçambicanos e brasileiros. A pesquisa, de natureza quantitativa, descritiva e exploratória, envolveu 512 professores do ensino fundamental público, que lecionam do 1º ao 7º ano, sendo 278 da Província moçambicana de Nampula e 234 do Estado de Pernambuco-Brasil (região metropolitana de Recife). Os dados foram coletados por meio do questionário sociodemográfico, Maslach Burnout Inventory, Questionário do Senso de Coerência, Escala de Resiliência para Adultos, Escala Hopkin’s Symptom CheckList e técnica de associação livre. Posteriormente, foram tabulados e analisados, recorrendo-se ao tratamento quantitativo, com o auxílio do software estatístico SPSS (Statiscal Package for Social Science) e SSA (Similarity Structure Analysis). Os resultados da análise multidimensional indicam que a estrutura fatorial da versão em português do MBI, numa projeção SSA, é compatível com a estrutura interna do Maslach Burnout Inventory. As análises estatísticas revelaram que alguns professores moçambicanos e brasileiros apresentam um quadro instalado de estresse e burnout no nível de exaustão emocional; e o senso de coerência, resiliência, ansiedade, depressão e variáveis sociodemograficas (i.e., nacionalidade, estado civil, nível de ensino lecionado, idade, formação e anos de experiência) fazem diferença na ocorrência da síndrome. Os achados sugerem ainda a existência de múltiplos contextos de estresse no trabalho dos professores, que afetam a saúde e o bem-estar dos profissionais e sua organização de trabalho, e que, tornando-se crônicos, podem contribuir para a ocorrência da síndrome de burnout. Além da pesquisa chamar a atenção para a necessidade de uma reestruturação das formas de organização do trabalho dos professores nas escolas com vista a transformação do trabalho perigoso ou nocivo em trabalho saudável e prazeroso, que possibilite o bem-estar físico e psíquico, através da adequação do trabalho às características psicológicas dos professores, ela pode construir também um instrumento didático-pedagógico capaz de ajudar os professores na reflexão sobre o contexto em que decorre a atividade laboral, evitando à exposição de situações de risco e que põem em causa a sua saúde. Portanto, sublinha-se a necessidade de um conhecimento mais aprofundado da realidade relativa ao exercício da atividade docente nas escolas do ensino fundamental moçambicano e brasileiro tendo em vista o desenvolvimento de programas de prevenção da síndrome de burnout e de engajamento no trabalho.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17388
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Direito

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese Mussa - 21.01.2015.pdf3,57 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons