Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17137
Título: Prevalência e Fatores de Risco Para Coinfecção HIV/HTLV em Pacientes do Complexa Hospitalar de Doenças Infecto-contagiosas DR. Clementino Fraga no Período de Fevereiro a Julho de 2015 – João Pessoa – PB
Autor(es): SOUZA, Marcela Santos de
Palavras-chave: HIV;HTLV;Coinfecção;Fatores de risco;HIV;HTLV;Coinfection;Risk factors
Data do documento: 31-Ago-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Estima-se que 33 milhões de pessoas vivam com HIV no mundo, enquanto 15 a 20 milhões sejam infectadas pelo HTLV-1/2, como ambos compartilham as mesmas vias de transmissão a coinfecção tem sido relatada; os pacientes coinfectados podem apresentar maior contagem de LTCD4, retardando o diagnóstico de aids, assim como progredir mais rapidamente para a imunossupressão, além de evoluírem com sintomas de TSP/HAM mais precoce e frequentemente.O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência e os fatores de risco associados à coinfecção em pessoas vivendo com HIV/aids atendidos no Hospital Clementino Fraga, João Pessoa-PB, no período de fevereiro a julho de 2015. Trata-se de um estudo transversal analítico; os pacientes foram abordados no momento da coleta de sangue para exames de contagem de LTCD4 e carga viral do HIV de rotina, submetidos à entrevista para coleta de dados sócio-epidemiológicos após assinatura do temo de consentimento livre e esclarecido e então encaminhados para a coleta de sangue, que era então enviado ao Setor de Virologia do LIKA da UFPE para detecção de anti-HTLV por ELISA; as contagens de LTCD4 e carga viral, assim como data de diagnóstico foram obtidas dos prontuários. Foram analisados 401 indivíduos vivendo com HIV/aids, 271 eram do sexo masculino, 60,8% solteiros e 196 de raça branca; a média de idade foi 41,3 anos A prevalência da coinfecção HIV/HTLV foi de 1,5%, e no presente trabalho não houve associação de maior risco de coinfecção com cirurgia ou hemotransfusão prévias, piercings ou tatuagens, compartilhamento de seringas ou história de drogas injetáveis, bem como com o comportamento sexual dos participantes. As médias das primeiras e últimas contagens de LTCD4 e carga viral do HIV foram semelhantes entre os dois grupos. Os resultados mostram que a Paraíba difere de outras regiões do país, com baixa prevalência de coinfecção, provavelmente por características epidemiológicas e culturais de sua população, o que mostra a importância de mais estudos de prevalência como este, visto que o Brasil apresenta marcantes diferenças inter-regionais no perfil de sua população.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17137
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Medicina Tropical

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO FINAL - VERSÃO DIGITAL.pdf1,02 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons