Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17133
Title: Ecologia alimentar e distribuição espaço-temporal das diferentes fases ontogenéticas da espécie Cynoscion acoupa no estuário do Rio Goiana (PE/PB)
Authors: FERREIRA, Guilherme Vitor Batista
Keywords: Oceanography. Spatial-temporal distribution. Feeding ecology. Environmental gradient. Nursery. Microplastic debris. Top predator; Oceanografia. Distribuição espaço-temporal. Ecologia alimentar. Gradiente ambiental. Berçário. Filamentos de microplástico. Predador de topo.
Issue Date: 1-Feb-2016
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Abstract: Este estudo avalia a influência espaço-temporal nos padrões de distribuição, ecologia alimentar e ingestão de microplástico da espécie Cynoscion acoupa (Pescada Amarela) ao longo da sua ontogenia, no estuário do rio Goiana, localizado no nordeste do Brasil. A área de estudo se trata de um estuário tropical, com altas médias de temperatura anual e pequenas oscilações. O ambiente está submetido a um regime de mesomaré semi-diurna. As principais alterações encontradas no estuário são oriundas do ciclo sazonal, que está diretamente ligado à pluviometria, divida em quatro estações (início da chuva, fim da chuva, início da seca e fim da seeca), com o intuito de se ter uma maior precisão na avaliação dos processos abiológicos e na comunidade aquática. Os espécimes foram coletados em diferentes porções estuarinas (estuário superior, intermediário e inferior) e nos canais de maré. Simultaneamente a coleta dos dados biológicos foram obtidas informações a respeito dos parâmetros físico-químicos. Os padrões de distribuição e alimentação da espécie estudada ocorrem de forma distinta em relação à ontogenia, sazonalidade e áreas do estuário. A fase juvenil de C. acoupa ocupa a porção superior do estuário durante todas as estações do ano, em busca de baixos valores de salinidade, onde encontram condições ideais apara evitar predadores marinhos. As principais presas dos juvenins no estuário superior foram filamentos de microplástico (FO=63%), amphipoda (FO=28%) e mysidacea (FO=22%). Além disso, no início do período chuvoso, o estuário superior apresenta um papel crucial para o ciclo de vida da espécie, por se caracterizar como uma área berçário para C. acoupa (grande densidade 228,4 ind. ha-1 e baixa biomassa 46 g ha-1 de juvenis), pois a sua contribuição de indivíduos juvenis para a população adulta é muito maior que nos outros hábitats. No ambiente de berçário os juvenis se alimentaram principalmente de filamentos de microplástico (FO=48%), camarão (FO=28%), mysidacea (FO=22%) e amphipoda (FO=21%). Nas demais porções estuarinas, também são registrados indivíduos juvenis, sobretudo nos períodos chuvosos (início da chuva 115 ind ha-1 e fim da chuva 7,3 ind. ha-1), porém em menor escala. Os subadultos de C. acoupa utilizam principalmente o estuário superior durante o início da seca (1,7 ind. ha-1), fim da seca (1,6 ind. ha-1) e início da chuva (6,5 ind. ha-1) como área de alimentação. Predando no estuário superior, no início da seca, principalmente peixes não identificados (FO=50%), no fim da seca, filamentos de microplástico (FO=60%), mysidacea (FO=20%) e syllidae (FO=20%) e no início da chuva, filamentos de nylon FO=100% e peixes não identificados (FO=20%). Durante o fim do período chuvoso os indivíduos subadultos migram para o estuário intermediário (2,3 ind. ha-1) para evitar grandes estresses osmorregulatórios e predaram principalmente amphipoda (FO=75%), Cathorops spixii (FO=50%), Anchovia clupeoides (FO=25%) e peixes não identificados (FO=25%). A fase adulta de C. acoupa foi registrada somente nas porções mais externas do estuário inferior, por se tratar de uma espécie de hábitos costeiros quando completamente desenvolvida. Os indivíduos adultos de C. acoupa predaram principalmente filamentos de nylon (FO=100%), C. spixii (FO=18%), Achirus lineatus (FO=15%), Stellifer stellifer (FO=15%) e camarão (FO=15%). C. acoupa apresentou uma variação no padrão de distribuição em relação a sua ontogenia, sazonalidade e diferentes porções estuarinas. Ao longo do seu desenvolvimento ontogenético C. acoupa também apresentou uma alteração na sua guilda trófica, os juvenis e os subadultos foram classificados como oportunistas e os indivíduos adultos como piscívoros. A grande quantidade de fragmentos e microplástico encontrada na espécie estudada, demostra que ela é particularmente vulnerável a esse tipo de contaminante, sobre tudo os espécimes adultos, que registraram os maiores níveis de contaminação, provavelmente em razão do seu nível trófico, como predadores de topo.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17133
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Oceanografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação (G. Ferreira).pdf2.31 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons