Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17121
Título: Chumbo-210 e frequência de micronúcleos em células esfoliativas da urina de fumantes e não fumantes
Autor(es): COSTA JÚNIOR, Carlos Eduardo de Oliveira
Palavras-chave: Urina; Micronúcleos; Fumantes; Radionuclídeos Naturais; Biomonitoração; Urine; Micronucleus; Smokers; Natural Radionuclides Biomonitoring
Data do documento: 9-Dez-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A presença de diferentes substâncias genotóxicas, como os produtos do decaimento do 210Pb, um elemento amplamente encontrado no cigarro, pode causar danos genéticos e contribuir para evolução de neoplasias malignas, o que evidencia a necessidade de monitoração constante dos fumantes. Bioindicadores, a exemplo de micronúcleos (MN’s) são largamente empregados nos estudos das ações de agentes genotóxicos em seres humanos. Normalmente, em grupos formados por fumantes, são utilizadas amostras da mucosa bucal para avaliação da frequência de micronúcleos. No entanto, raros são os estudos que procuram utilizar como matriz amostras de urina para essas determinações. O presente trabalho avaliou a frequência de micronúcleo em células esfoliativas na urina, bem como os teores de Chumbo-210 em urina coletada durante 24 horas de indivíduos fumantes e não fumantes, com o objetivo de avaliar a utilização desta matriz como indicadora da suscetibilidade a danos genéticos em voluntários fumantes. Foram coletadas amostras de urina de 30 voluntários (15 não fumantes e 15 fumantes). Para as análises de micronúcleo em urina foram obtidas células esfoliativas através de uma série de centrifugações e lavagens com NaCl a 0,9%. A fixação e coloração empregadas foram metanol/ácido acético e Giemsa, respectivamente. Para determinar as concentrações de 210Pb, utilizou-se a técnica da resina trocadora de íons. Nesse caso, o 210Pb foi precipitado na forma de PbCrO4. O detector Canberra Tennelec S5E foi utilizado para determinar o 210Pb. As concentrações de 210Pb na urina dos fumantes variaram de 49,7 a 158,65 mBq.L-1, enquanto os não fumantes apresentaram valores abaixo de 45 mBq (LD). Nesta pesquisa, os resultados relacionados ao 210Pb sugerem que fatores como a idade, tempo de tabagismo e quantidade de cigarros não exerceram influência estatisticamente significante sobre os valores de excreção do 210Pb, entretanto o hábito tabagista contribui para o aumento das concentrações encontradas na urina. Foi encontrada uma frequência média para micronúcleo em não fumantes de 0,0036 ± 0,001 e, em fumantes foi de 0,0068 ± 0,002. Os resultados indicam um aumento expressivo da frequência de micronúcleos em células esfoliativas de indivíduos fumantes em relação aos não fumantes, sendo este aumento estatisticamente significativo. A análise estatística dos componentes principais (ACP) sugere que a quantidade de cigarros está relacionada com os micronúcleos, no entanto, não houve correlação estatisticamente significante com as concentrações de Chumbo-210. Os resultados obtidos sugerem que a urina pode ser utilizada como matriz biológica para a avaliação da suscetibilidade a danos genéticos ocasionados pelos compostos presentes no cigarro, comportando-se como uma ferramenta eficiente para a monitoração humana.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17121
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese_Pos_defesa_Final_corrigida_Biblioteca.pdf3,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons