Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17104
Título: A reinvenção da periferia no discurso das experiências populares em audiovisual
Autor(es): ANDRADE, Michely Peres de
Palavras-chave: Periferia; Audiovisual; Juventude; Política cultural; Diferença; Periphery; Audiovisual; Youth; Cultural policy; Difference
Data do documento: 26-Fev-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O significante periferia, originário do grego perí (em torno) e pherein (levar), tem passado por importantes redefinições. Utilizado convencionalmente para designar espaços que se encontram afastados de um determinado centro (econômico, social, cultural etc.), ele habita o imaginário coletivo e urbano como os locais delimitados geograficamente pela pobreza, pela falta e pela violência. Já na teoria sociológica, a periferia adquiriu contornos mais amplos para representar os países que continuaram “à margem” do modelo hegemônico de modernidade e de desenvolvimento econômico. Acompanhando o questionamento epistemológico direcionado ao pensamento dicotômico ocidental (West/Rest, centro/periferia, dentro/fora, norte/sul etc.), engendrado pelos Estudos Pós-coloniais, realizadores audiovisuais brasileiros passaram a articular um discurso de reinvenção da periferia, que transcende a sua dimensão geográfica e socioeconômica. Passaram a representá-la como um conceito não binário, que envolve diferenças culturais, geracionais, étnico-raciais, de orientação sexual, de classe, entre outras. Inserido nesse contexto, este trabalho aborda o processo de articulação discursiva dessas diferenças em torno do projeto político-cultural de reinvenção da periferia. Partindo da experiência do Festival Audiovisual Visões Periféricas, realizado desde 2007 na cidade do Rio de Janeiro, o objetivo da pesquisa foi compreender a produção de novos sentidos e discursos atribuídos a esse conceito: a periferia plural, imprecisa, ambígua, em movimento, onde os jovens emergem como os “porta-vozes” de uma vontade coletiva. Nas análises, utilizamos uma orientação teórico-metodológica que envolve a Teoria do Discurso e os Estudos Pós-coloniais. Investigando os discursos em circulação no Festival, a partir das suas dimensões política, social e fantasmática, a proposta foi compreender como são articuladas as diferentes demandas em torno desse equivalente comum no qual se transformou a periferia.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17104
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Sociologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE REVISADA - MICHELY.pdf2,91 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons