Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17047
Título: Bifenilas policloradas (PCBs) e pesticidas organoclorados em Scomberomorus cavalla: pescado de importância econômica na região metropolitana do Recife - PE
Autor(es): MIRANDA, Daniele de Almeida
Palavras-chave: Oceanografia; PCB; DDT; Pesticida organoclorado; Scomberomorus cavalla; Exposição a contaminante; Análise de risco
Data do documento: 26-Ago-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Poluentes orgânicos persistentes (POPs) são ubíquos no ambiente global devido a grande estabilidade química e ampla dispersão. As características lipofílicas destes compostos favorecem a sua acumulação em peixes. Tais compostos estão associados ao desenvolvimento de câncer e desregulação do sistema endócrino. Apesar das proibições e restrições atribuídas a estes compostos, eles são frequentemente detectados no ambiente e a população humana está exposta a esta classe de contaminantes, principalmente, através do consumo de alimentos contaminados, como o pescado. O presente estudo teve como objetivos: (1) implementar metodologia para análise de PCBs e pesticidas organoclorados (DDTs, HCHs, clordanos, heptacloro e mirex) em peixe; (2) verificar a ocorrência de tais compostos em Scomberomorus cavalla; (3) investigar possíveis correlações entre os níveis de contaminantes e os parâmetros biológicos da espécie (idade, sexo, estágio de maturação e percentual de lipídios); e (4) estimar a exposição da população humana local a PCBs e DDTs através do consumo S. cavalla. Amostras de músculo e fígado foram separadas de 20 peixes adquiridos em colônias de pesca de Recife e região metropolitana. O método de extração foi Soxhlet (8 h), seguido por purificação com tratamento ácido. O extrato final foi analisado através de cromatografia em fase gasosa acoplada a espectrometria de massas (GC-MS). A metodologia para análise de organoclorados foi implementada e avaliada através de material de referência certificado. O limite de quantificação do método foi em média 0,50 ng g-1 peso seco (ps). PCBs e DDTs foram os grupos de compostos detectados em maiores concentrações nos espécimes estudados. As concentrações de PCBs, DDTs e clordanos no músculo variaram de 2,88 a 97,4 ng g-1 ps, 0,92 a 11,6 ng g-1 ps e nd (não detectado) a 2,11 ng g-1 ps, respectivamente. No fígado as concentrações desses contaminantes variaram de 47,5 a 267 ng g-1 ps, 7,95 a 34,8 ng g-1 ps e nd a 5,52 ng g-1 ps, respectivamente. HCHs, heptacloro e mirex não foram detectados nas amostras. Os parâmetros biológicos de S. cavalla não apresentaram correlação com as concentrações dos compostos estudados. A estimativa de ingestão diária de PCBs e DDTs pela população pernambucana mostrou que a cavala é uma espécie segura para consumo, segundo limites de referência propostos por agências da Organização das Nações Unidas (ONU).
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17047
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Oceanografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Daniele Miranda (Dissertação) (1).pdf2,16 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons