Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/16907
Título: Nas mãos: A criança e o cachimbo. As experiências de maternidade das mulheres usuárias de crack
Autor(es): FREITAS, Shirleidy Mirelle da Costa
Palavras-chave: crack; maternidade; feminismo; gênero; direitos sexuais; direitos reprodutivos; crack; motherhood; feminism; gender; sexual rights; reproductive rights
Data do documento: 29-Mai-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A presente pesquisa, inserida no campo dos direitos sexuais e dos direitos reprodutivos, fundamenta-se a partir da perspectiva epistemológica feminista pós-estrutural, utilizando-se de metodologia qualitativa. Sendo parte do Projeto Diálogos para o Desenvolvimento Social de Suape, teve o objetivo de analisar as experiências de maternidade de mulheres jovens usuárias de crack. Para tal, a pesquisadora acompanhou as jovens a partir da inserção das mesmas em um programa de assistência aos/às usuários/as de álcool e outras drogas, com foco no uso de crack, na cidade do Cabo de Santo Agostinho/PE. Houve acompanhamento do cotidiano do Programa por quatro meses, através de observação participante, com registro em diário de campo. Em seguida, houve a realização de entrevistas com quatro mulheres, participantes do programa, com idades entre 19-22 anos que tiveram filhos/as nos últimos dois anos, em contexto de uso do crack. Foi realizada uma análise temática dos dados, marcada por um olhar interseccional, utilizando o gênero como categoria analítica. Os resultados apontam que, em suas falas, as jovens reiteram os discursos hegemônicos sobre maternidade, relacionando-a a cuidado e responsabilidade. Todavia, constroem resistências ao exercer, com o apoio da rede familiar, práticas de cuidado aos/às filhos/as. As experiências de maternidade delas são marcadas por uma violência estrutural na medida em que as mesmas tem dificuldade de efetivar direitos básicos, como: moradia, educação, assistência à saúde e segurança, evidenciando uma relação enfraquecida com o Estado. Ao focalizar as experiências de maternidade destas mulheres jovens, a pesquisa pretendeu quebrar o silenciamento dos discursos das jovens mães usuárias de crack, trazendo para o cenário as experiências das mesmas, de forma a promover menos exclusão e vulnerabilidade.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/16907
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Psicologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO SHIRLEIDY.pdf1,53 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons