Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/16619
Título: Indicadores de desenvolvimento sustentável e a conservação da Mata Atlântica do Nordeste do Brasil
Autor(es): BRANCO, Bruno Paes Castelo
Palavras-chave: Corredor de Biodiversidade. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável. Mata Atlântica do Nordeste; Biodiversity Corridor.Indicators of sustainable development.BrazilianNortheastAtlantic Forest
Data do documento: 28-Ago-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: A Mata Atlântica é considerada uma das 35 áreas mais importantes paraa conservação da biodiversidade do mundo, no entanto, restam apenas 10% da área original desse ecossistema. Na região Nordeste do Brasil encontra-se a porção com maior ocorrência de espécies endêmicas e ameaçadas de extinção, consequentemente um maior número de áreas prioritárias para conservação da biodiversidade. Apesar disso ela é a porção mais ameaçada e degradada. Em resposta a isso estão sendo implementadas diversas estratégias de conservação em diferentes escalas, uma delas, com uma abrangência em larga escala, é o Corredor de Biodiversidade do Nordeste (CBNE). Com o surgimento da agenda ambiental, nos anos 1970, diversos instrumentos e metodologias foram propostos com o objetivo de mensurar e monitorar os avanços no caminho para o desenvolvimento sustentável. Este estudo objetivou analisar a relação dos Indicadores de Desenvolvimento Sustentável (IDS) com a distribuição dos fragmentos florestais nos municípios inseridos no CBNE. Para isso, buscou-se (i) Identificar os IDS disponíveis para os municípios de Pernambuco inseridos no CBNE; (ii) Analisar quais IDS podem ser utilizados para o estudo de distribuição dos remanescentes em municípios do CBNE; e (iii) Determinar a variação na percentagem de cobertura florestal com relação aos IDS. Foram selecionados 110 municípios inseridos no CBNE em Pernambuco e estruturado um banco de dados composto por IDS. Foi realizada uma Análises de Componentes Principais (PCA) para reduzir, a partir da covariância, o número de variáveis estudadas. Foi aplicada o Modelo Linear Generalizado (MLG) para testar se o modelo proposto de relação da quantidade de floresta com IDS. As análises estatísticas foram realizadas através do software R. Sete municípios foram excluídos da matriz de análise de dados por apresentarem uma porcentagem de área com remanescente de floresta próxima a zero, sendo analisados 103 no total. A partir da PCA foi observada a covariância de alguns desses indicadores e passamos a trabalhar com oito deles em cada município. Os IDS não apresentaram uma distribuição normal da variância de seus dados. A partir da análise de resíduos da MLG ficou claro que o modelo proposto pode ser aceito. Este estudo propõe que sejam priorizados os municípios que apresentam os IDS mais baixos, com uma maior população pobre e rural, para projetos de Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade da Mata Atlântica.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/16619
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Desenvolvimento e Meio Ambiente

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação_Bruno_Paes_FINAL.pdf1,48 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons