Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/16606
Título: Análise Imuno-histoquímica das Metalproteinases da Matriz 2 E 9 nasLesões Intraepiteliais e Invasivas da Cérvice Uterina
Autor(es): Vasconcelos, Lianne D’Oleron Lima
Palavras-chave: Metaloproteinases da Matriz; Papilomavírus Humano; Neoplasias do Colo Uterino; Matrix Metalloproteinases; Papillomaviridae; Uterine Cervical Neoplasms
Data do documento: 11-Ago-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O câncer do colo uterino é o quarto tipo de câncer mais comum entre as mulheres mundialmente, e o sétimo no geral. No Brasil, esta neoplasia é a terceira mais frequente no gênero feminino, com mais de 15 mil casos novos a cada ano. A infecção persistente pelo papilomavírus humano dos tipos de alto risco oncogênico está associada ao câncer cervical, porém uma pequena percentagem de mulheres infectadas por estes vírus desenvolve lesões pré-malignas que podem evoluir à invasão. Portanto, outros cofatores são necessários para a persistência viral que, após 2 anos sem intervenção, leva à expressão desregulada e concomitante das oncoproteínas transformantes E6 e E7. As enzimas degradadoras de matriz extracelular conhecidas como metaloproteinases da matriz tem sido extensamente estudadas devido ao seu papel na invasão, metástase, angiogênese e recidiva tumoral. Nas lesões cervicais, um aumento na expressão das metaloproteinases foi identificado, porém, seu papel na progressão das lesões pré-invasivas e sua interação com a infecção pelo papilomavírus ainda não está bem esclarecida. Neste intuito, o presente estudo visou avaliar, através de técnica imuno-histoquímica, a associação dos níveis de expressão das metaloproteinases da matriz 2 e 9 com os graus de lesões cervicais. Para isso, foram utilizadas amostras de biopsias parafinadas, diagnosticadas e arquivadas entre 2011 e 2015 no Laboratório de Anatomia Patológica do Hospital das Clínicas de Recife, Pernambuco, Brasil, incluindo 115 biopsias de lesões cervicais, obtidas por conização, bem como 14 casos de tecidos cervicais sem lesão. Os resultados obtidos neste trabalho demonstraram um aumento da expressão das metaloproteinases 2 e 9 nos casos de invasão em relação a condições pré-malignas, tanto no citoplasma quanto no núcleo de células epiteliais escamosas, sendo a intensidade da expressão nuclear das metaloproteinases estudadas mais significativa nas células cancerosas. Também foi observada diminuição da expressão das metaloproteinases 2 e 9 no citoplasma das células glandulares adjacentes na presença do carcinoma escamoso invasor, quando comparadas ao controle. Mais estudos precisam ser realizados para avaliar o valor prognóstico das metaloproteinases 2 e 9 nas condições pré-malignas e malignas do colo uterino.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/16606
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Patologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Lianne versão final.pdf1,77 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons