Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1634
Título: Síntese de tiossemicarbazonas substituídas e derivados de 4-tiazolidinonas e avaliação in vitro contra Toxoplasma gondii
Autor(es): Pinto Tenório, Rômulo
Palavras-chave: Toxoplasmose; Toxoplasma gondii
Data do documento: 2005
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Pinto Tenório, Rômulo; José da Silva Goés, Alexandre. Síntese de tiossemicarbazonas substituídas e derivados de 4-tiazolidinonas e avaliação in vitro contra Toxoplasma gondii. 2005. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia de Produtos Bioativos, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
Resumo: Toxoplasma gondii é um parasita unicelular responsável pela toxoplasmose, doença de alta gravidade em pacientes imunodeprimidos devido ao seu caráter oportunista. Os fármacos empregados no tratamento levam a severos efeitos adversos. Neste cenário, faz-se urgente à descoberta de novas substâncias com potencial atividade anti-T. gondii. A enzima ribonucleotídeo redutase, vem sendo relacionada como possível alvo quimioterapêutico. As tiossemicarbazonas, por sua vez, apresentam comprovada eficácia na inibição desta enzima. Neste sentido, sintetizamos uma série de tiossemicarbazonas e derivados de 4-tiazolidinonas e avaliamos seu potencial contra T. gondii. As tiossemicarbazonas (3a 3j) foram preparadas a partir de nitro-benzaldeídos e tiossemicarbazidas substituídas, em etanol sob refluxo e purificadas por lavagem com solvente apropriado. Na segunda etapa, as tiossemicarbazonas foram ciclizadas utilizando o anidrido maléico para formar as 4-tiazolidinonas (4a 4j). Todas as estruturas foram confirmadas por RMN 1H, 13C e IV. Quanto à atividade biológica, células Vero foram infectadas com taquizoítas de T. gondii por 24 h, e após esse período, incubadas com as substâncias sintetizadas por mais 24 horas. Todas as substâncias reduziram drasticamente a percentagem de células Vero infectadas após o tempo de incubação, bem como o número de parasitas intracelulares, causando graves alterações morfológicas no parasita intracelular sem afetar a célula hospedeira, conforme observado por microscopia ótica e eletrônica. Dentre estas, as substâncias 3a, 3b, 4h e 4i mostraram os melhores resultados
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1634
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biotecnologia Industrial

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4502_1.pdf2,39 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.