Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1611
Title: Eletroquímica acoplada à ressonância de plásmons de superfície no estudo de adsorção de proteína em filme fino
Authors: MARTINS JÚNIOR, Raimundo Rômulo
Keywords: Plásmons de superfície; Impedância eletroquímica; Adsorção de proteína; Concanavalina A
Issue Date: 2007
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Rômulo Martins Júnior, Raimundo; Borges Diniz, Flamarion. Eletroquímica acoplada à ressonância de plásmons de superfície no estudo de adsorção de proteína em filme fino. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência de Materiais, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Abstract: Biosensor é um dispositivo no qual o material de origem biológica, tais como enzima, organela, tecido animal ou vegetal, microrganismo, antígeno ou anticorpo, ácidos nucléicos, lectina, entre outros, é imobilizado junto a um transdutor adequado. Portanto, o estudo da interface eletrodo/biomolécula/solução consiste em uma das principais etapas para o desenvolvimento de biosensores. O objetivo deste trabalho foi estudar a interface ouro/lectina utilizando as técnicas de Espectroscopia de Impedância Eletroquímica (EIS) e Ressonância de Plásmons de Superfície (SPR), como meios de transdução para a confecção de um futuro biosensor. Contudo, as lectinas pertencem a um grupo de proteínas com especificidade a carboidratos, característica que ampliou o foco da dissertação para a interação entre a lectina Concanavalina A e os carboidratos glicogênio e galactose. Neste trabalho foi montado um sistema de SPR acoplado ou não a um sistema eletroquímico, com o intuito de monitorar e caracterizar a adsorção da proteína em diferentes potenciais e sua interação com carboidratos. Com base nos resultados obtidos, a proteína na configuração desativada adsorveu mais que a forma ativada na superfície do eletrodo de filme fino de ouro, porém, foi a configuração ativada que melhor reconheceu o glicogênio e ambas não se ligaram à galactose. Além disso, foi verificado que a proteína, em ambas as configurações, não reconheceu a galactose e adsorveu mais facilmente em potenciais mais positivos, devido a um maior contraste de cargas entre o eletrodo e a proteína
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1611
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Ciências de Materiais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo5270_1.pdf6.54 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.