Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15774
Título: Do sofrimento à superação: as representações de transtornos mentais na série “Males da alma”, no programa Fantástico
Autor(es): FONSÊCA, Natália Raposo da
Palavras-chave: Representações sociais; Saúde; Transtornos mentais; Telejornalismo; Fantástico; Social Representations; Health; Mental Disorder; Broadcast Journalism; Fantástico
Data do documento: 23-Mar-2015
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Este estudo apresenta uma análise das representações de transtornos mentais construídas pela série Males da Alma, exibida no programa Fantástico e apresentada pelo médico oncologista Dráuzio Varella. Entendendo o jornalismo, em especial o televisivo, como um elemento que contribui para construir a realidade social, acredita-se que as representações que este constrói dos transtornos mentais podem influenciar na forma como o público os percebe e mesmo na experiência de estar doente. A fundamentação teórica deste trabalho se sustenta em discussões sobre os campos da comunicação, jornalismo e saúde; abordagens construtivistas do jornalismo, bem como nas teorias do enquadramento e das representações sociais. Para analisar o corpus, partiu-se do método de análise de imagens em movimento, desenvolvido por Diana Rose, a partir do qual se analisou as representações sociais dos transtornos mentais nas reportagens telejornalísticas, com base na teoria de Serge Moscovici, e considerando as dimensões de texto, imagem e som. Com um mapa representacional dos transtornos, foi possível perceber a enfermidade representada em um ciclo que se inicia com o sofrimento e termina na superação, passando, para isso, por fases como a luta e a medicação. Verificou-se que as reportagens reforçam o discurso de autoridade médica, pelo monopólio da fala do especialista e pela legitimidade que o capital científico de Dráuzio Varella confere a seu discurso. Ademais, verificou-se que embora as reportagens se estruturem a partir de histórias de pessoas doentes, o foco continua sendo a doença, reforçando o conflito maniqueísta do bem, a saúde, contra o mal, a doença.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15774
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Comunicação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Natália Raposo FINAL.pdf1,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons