Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15524
Título: Avaliação do pensamento crítico: análise das propriedades psicométricas de um teste de raciocínio lógico-dedutivo
Autor(es): SOUSA, Mozart Amorim
Palavras-chave: critical thinking; psychological assessment; psychological tests; informal logic; Psicologia cognitiva; Pensamento crítico.; (Temas em avaliação psicológica); Lógica
Data do documento: 23-Fev-2015
Editor: UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
Resumo: A presente pesquisa teve como objetivo estudar as propriedades psicométricas de um Teste de Raciocínio Lógico-Dedutivo (TRLD). Para tanto, foram realizados dois estudos, sendo o primeiro pela Teoria Clássica dos Testes e o segundo pela Teoria de Resposta ao Item. Ambos contaram com uma amostra de 192 participantes, (65,6% pertencentes ao sexo feminino), todos com idade superior a 18 anos (M=23,9, DP=9,33). Foram aplicados um questionário sociodemográfico, o Teste de Raciocínio Lógico-Dedutivo, a Bateria Fatorial de Personalidade e a Prova de Raciocínio Abstrato da BPR-5. No primeiro estudo, foram investigadas a validade fatorial do TRLD, as precisões dos fatores encontrados e a validade convergente-discriminante, com inteligência fluída (raciocínio abstrato) e traços de personalidade, respectivamente. Uma análise fatorial exploratória revelou uma estrutura com cinco fatores primários e dois fatores de segunda ordem. Os índices de consistência interna foram de 0,844 e 0,708, para os fatores de segunda ordem, respectivamente. Além disso, observou-se correlação moderada e significativa desses fatores com uma medida de raciocínio abstrato (validade convergente) e correlações baixas ou não significativas com traços de personalidade (validade discriminante). O instrumento foi considerado válido e preciso, especialmente para avaliação dos dois fatores de segunda ordem. No segundo estudo os fatores de segunda ordem foram submetidos à Teoria de Reposta ao Item (TRI). Foram analisados o ajuste dos dados ao Modelo de Rasch da TRI (infit e outfit); a adequação do nível de dificuldade dos itens (parâmetro b) ao nível de habilidade dos sujeitos (Ɵ) e a adequação das respostas consideradas corretas. Em ambos os fatores de segunda ordem, os índices de infit e outfit indicaram um bom ajuste dos dados ao Modelo de Rasch e adequação das respostas consideradas corretas, que foram escolhidas pelos participantes com média de theta mais elevada. Além disso, os itens do primeiro fator de segunda ordem apresentaram nível de dificuldade compatível com a média de habilidade dos sujeitos, mas os itens do segundo fator de segunda ordem foram muito fáceis para o nível de habilidade dos sujeitos. Embora algumas melhorias possam ser realizadas em futuros estudos, no geral, pode-se dizer que o instrumento apresentou boas propriedades psicométricas, podendo ser recomendado para uso em pesquisas.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/15524
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Psicologia Cognitiva

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO Mozart Amorim Sousa.pdf1,25 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons